‘Clear Neptune Rings’… a imagem real do sistema solar graças a James Webb

<الجدول الزمني لإطلاق تلسكوب جيمس ويب الفضائي. الصورة = ناسا / وكالة الفضاء الأوروبية / وكالة الفضاء الكندية. الرسومات = المراسل تشوي سيونج هون>

Já se passaram mais de dois meses desde que o Telescópio Espacial James Webb iniciou observações científicas em larga escala.

Dos dados capturados pela web, apenas uma fração das imagens são divulgadas ao público. No entanto, surpreendentemente, imagens que não puderam ser confirmadas em telescópios espaciais anteriores, como Hubble, Spitzer e Voyager, foram reveladas uma a uma.

O episódio ‘Neptune’ foi capturado 33 anos após a Voyager 2

Imagem = NASA/ESA/CSA.
<صورة = NASA / ESA / CSA.>

No dia 21 (horário local), a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) revelou quatro anéis de Netuno, o oitavo planeta mais distante do sistema solar, fotografados por Webb. Dois desses anéis são os primeiros anéis de Netuno a serem capturados por telescópios espaciais nos 33 anos desde que a Voyager 2 tirou várias horas de imagens ao sair do sistema solar em 1989.

Esta é a primeira vez que os anéis de Netuno foram observados na luz infravermelha. A poderosa capacidade de penetração infravermelha da teia foi capaz de capturar os tênues anéis de poeira de Netuno a bilhões de quilômetros de distância, tão nitidamente quanto a Voyager 2, capturada a 4.950 quilômetros de distância.

Anéis de Netuno, fotografados pela Voyager 2 em 26 de agosto de 1989 com uma exposição de 591 segundos.  foto = NASA
Anéis de Netuno fotografados pela Voyager 2 em 26 de agosto de 1989 com uma exposição de 591 segundos. foto = NASA

Quando se trata de planetas com anéis, a maioria das pessoas pensa em Saturno, mas Júpiter, Urano e Netuno também têm anéis. No entanto, é muito fino e fraco, o que dificulta a observação. Anteriormente, o Hubble também fotografou alguns dos anéis de Netuno, mas não mostrou a imagem completa tão claramente quanto a web.

Descoberto pela primeira vez em 1846 pelo astrônomo britânico William Russell, diz-se que Netuno é tão escuro quanto o sol se põe mesmo ao meio-dia porque orbita o sol a cada 164 anos a uma distância de 30 vezes a distância do sol à terra, que o sol Não pode fazer. chegar corretamente.

(Da esquerda) Voyager 2, Netuno de Hubble e James Webb.  Imagem = NASA/ESA/CSA.
<(من اليسار) تم التقاط نبتون بواسطة فوييجر 2 وهابل وجيمس ويب. الصورة = NASA / ESA / CSA.>

Ao contrário das fotos azuis tiradas pela Voyager 2 ou Hubble, as fotos na web são mais brancas acinzentadas. De fato, Netuno é coberto de metano e é azul, mas por que a cor é capturada de maneira diferente na web? Isso ocorre porque a web foi fotografada com uma câmera de infravermelho próximo (NIRCam, 0,6 a 5 μm). O metano de Netuno reflete a luz visível (comprimento de onda azul) do Hubble e da Voyager 2, mas absorve a cor vermelha da luz infravermelha emitida pela teia.

Pontos brilhantes podem ser vistos na imagem, que o físico planetário Patrick Irwin explica que poderia representar nuvens de gelo de metano de alta altitude. Uma linha tênue no equador de Netuno pode indicar uma forte circulação atmosférica da tempestade. No entanto, isso só pode ser especulado por cientistas.

A primeira lua de Netuno, Tritão, aparece ao fundo. A razão pela qual parece mais brilhante que Netuno é porque Tritão é coberto de nitrogênio e reflete cerca de 70% da luz solar. Tritão gira exclusivamente na direção oposta à rotação de Netuno. Com base nisso, os astrônomos especulam que Tritão era originalmente um corpo celeste no Cinturão de Kuiper, mas foi atraído pela força gravitacional de Netuno no início da história do sistema solar.

A web levou apenas alguns minutos para capturar Netuno e 20 minutos para capturar a imagem inteira. Nele, Webb capturou 7 das quatorze luas de Netuno (Triton, Galatea, Naiad, Thalassa, Despina, Proteus e Larissa).

Netuno e sete luas fotografadas pela Web.  Imagem = NASA/ESA/CSA.
<صور نبتون وسبعة أقمار بواسطة الويب. الصورة = NASA / ESA / CSA.>

“Esta é a primeira vez que vemos os anéis de poeira de Netuno na luz infravermelha”, disse a cientista da NASA Heidi Hamill.

Por outro lado, a razão pela qual Webb observou cientificamente os planetas gelados de Netuno e Urano é que, ao contrário de Júpiter e Saturno, eles estão mais distantes do Sol, menores em tamanho e contêm menos hidrogênio e hélio em seu interior. Os astrônomos querem estudar a relação entre os padrões de circulação atmosférica e o clima comparando planetas gelados e gasosos.

◇ Marte é o planeta mais próximo da Terra. Você pode encontrar vestígios de metano?

Imagens de Marte por Webb.  A imagem da esquerda é para sua referência.  A parte superior direita é uma imagem de comprimento de onda curto da câmera de infravermelho próximo da web, e a parte inferior é uma imagem de comprimento de onda longo.  Imagem = NASA/ESA/CSA.
<المريخ صورت على شبكة الإنترنت. الصورة اليسرى للرجوع اليها. الجزء العلوي الأيمن عبارة عن صورة ذات طول موجي قصير لكاميرا الأشعة تحت الحمراء القريبة من الويب ، والجزء السفلي عبارة عن صورة ذات طول موجي طويل. الصورة = NASA / ESA / CSA.>

Proibir água, “terça-feira”, “simulação, trovão”. Marte é o exoplaneta mais próximo da Terra. É também um lugar que já fez muitos progressos ao enviar muitas sondas da Terra.

E se olharmos para Marte na web? A Agência Espacial Européia (ESA) divulgou dados de Marte que Webb observou usando a câmera de infravermelho próximo (NIRCam) no dia 5 no Congresso Europeu de Ciências Planetárias (EPSC), realizado em Granada, Espanha, no dia 19 (horário local).

Na verdade, Marte não é um bom objeto que a web possa observar. Ele foi projetado para capturar a luz de objetos distantes, fracos e escuros para capturar o universo inicial há 13,5 bilhões de anos. Como está mais próximo da Terra e brilha intensamente, é difícil observá-lo.

Espectro infravermelho de Marte.  Imagem = NASA/ESA/CSA.
<طيف الأشعة تحت الحمراء للمريخ. الصورة = NASA / ESA / CSA.>

No entanto, Webb observou Marte de uma nova perspectiva. Primeiro, a NASA revelou dois tipos de imagens no infravermelho próximo: comprimento de onda curto e comprimento de onda longo. A imagem à esquerda é para referência, e as duas imagens à direita são fotos tiradas pela web.

A imagem de comprimento de onda curto (canto superior direito) foi tirada da esfera oriental de Marte iluminada pela luz solar. Na imagem de comprimento de onda longo (canto inferior direito), o resfriamento foi capturado após o pôr do sol. A parte mais brilhante é onde o sol está diretamente acima dela, por isso tem a temperatura mais alta e brilha intensamente. Por outro lado, o Hemisfério Norte passa pelo inverno.

O poder da tecnologia de observação planetária também foi confirmado por espectroscopia. A espectroscopia é uma técnica para determinar a composição química dos planetas e suas atmosferas usando o fenômeno de reflexão da luz da superfície de um planeta e passando pela atmosfera, refratando de acordo com sua composição e mudando seu comprimento de onda.

Já identificamos poeira marciana, nuvens de gelo, componentes atmosféricos e tipos de rochas superficiais nesta imagem. No futuro, espera-se que observações adicionais sejam capazes de determinar a presença de água e a presença de dióxido de carbono e monóxido de carbono. Em particular, espera-se encerrar a polêmica verificando se existem compostos orgânicos como metano e cloreto de hidrogênio, que podem ser vestígios de vida.

O novo rosto de “Júpiter” com aurora, luas e anéis claros

Júpiter Web Fotografia.  Imagem = NASA/ESA/CSA.
<كوكب المشتري تصويره على شبكة الإنترنت. الصورة = NASA / ESA / CSA.>

No mês passado, a NASA divulgou uma imagem na web de Júpiter. Os dados divulgados em julho foram processados ​​para facilitar a identificação. A razão pela qual a cor de Júpiter difere da aparência divulgada anteriormente é que a imagem capturada pelos três filtros infravermelhos vermelho, amarelo, verde e azul da web foi reconstruída para se ajustar à região da luz visível.

Na imagem, a “Grande Mancha Vermelha” de Júpiter foi capturada, assim como os anéis fracos e a aurora boreal. Primeiro, a grande mancha na superfície de Júpiter, a Grande Mancha Vermelha, é um vórtice maciço grande o suficiente para caber três Terras. Esta tempestade gigante de Webb é mostrada em branco.

O que torna as imagens na web especialmente únicas são as auroras boreais. A aurora vermelha se formou acima das atmosferas Antártica e Ártica, e abaixo dela aparecem nuvens amarelas e azuis e neblina girando em torno dos pólos.

Júpiter Web Fotografia.  Imagem = NASA/ESA/CSA.
<كوكب المشتري تصويره على شبكة الإنترنت. الصورة = NASA / ESA / CSA.>

Um anel fraco de uma parte por milhão da luz de Júpiter e duas pequenas luas (Amalthea e Adrias) também foram capturados. A sombra de outra lua e as ondas de difração da lua Io de Júpiter também se destacam na tela.

“Honestamente, eu não esperava uma imagem tão nítida”, disse a equipe da NASA. “É realmente incrível ver os anéis e as pequenas luas em uma imagem, juntamente com as características detalhadas de Júpiter.”

Repórter Seo Hee Won (shw@etnews.com)

READ  “LG생활건강, 부정적 환경에도 작년 사상 최대 실적 기록”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.