O ano de 2019 já está pertence ao passado, mas infelizmente com ele também partiram algumas celebridades portuguesas. Desta forma, recordamos alguns famosos que partiram em 2019.

Octávio Matos, faleceu a 3 de fevereiro de 2019, aos 79 anos.  Actor, nome incontornável do Teatro e Cinema português.

Cremilda Gil, faleceu a 7 de fevereiro de 2019, em Évora. Actriz de teatro e televisão com interpretações em várias telenovelas portuguesas, tais como: Vila Faia, Todo o Tempo do Mundo, A Lenda da Garça, Olhos de Água, Queridas Feras, entre outros.

Fernando Peres, faleceu a 10 de fevereiro de 2019, no Hospital Egas Moniz, em Lisboa, onde se encontrava internado. Futebolista, que jogou por Belenenses, Sporting, Académica de Coimbra e Porto. Jogou 27 jogos pela Seleção Portuguesa, marcando quatro golos.

Sequeira Costa, faleceu a 21 de fevereiro de 2019 nos Estados Unidos, onde residia, vítima de paragem cardíaca e respiratória. Foi um pianista clássico português. Ao longo da sua carreira de intérprete, tocou nas mais importantes salas de espetáculo, quer a solo, ou acompanhado pelas mais prestigiadas orquestras, sob a direção dos mais notáveis maestros.

Augusto Cid, faleceu aos 77 anos no dia 14 de Março de 2019 após doença prolongada. Augusto Cid foi um cartunista, caricaturista, ilustrador, escultor e publicitário português. Colaborou nos seguintes jornais e revistas: “A Parada da Paródia”, “A Mosca”, “Diário de Lisboa”, “Lorentis”, “Observador”, “O Século”, “Vida Mundial”, “O Jornal Novo”, “Povo Livre”, “A Tarde”, “O Dia”, “O Diabo”, “Semanário”, “O Independente”, “Focus”, “Grande Reportagem” e “Sol”. Colaborou ainda com a estação televisiva TVI.

Dina, faleceu no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, a 11 de abril de 2019. Tinha 62 anos. Foi uma cantora portuguesa, conhecida por temas como “amor de água fresca”ou “Há Sempre Música Entre Nós”.

Agustina Bessa-Luís, faleceu a 3 de junho de 2019, em sua casa, no Porto, vítima de doença prolongada. Um dos nomes maiores da literatura portuguesa contemporânea portuguesa.

Gaëtan, faleceu a 9 de julho de 2019, vítima de cancro. Foi um artista plástico português e Está representado em coleções públicas e privadas, nomeadamente: Centro de Arte Moderna, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Fundação Luso-Americana, Lisboa; Caixa Geral de Depósitos, Lisboa; Museu de Arte Contemporânea, Funchal; Ministério da Cultura, Lisboa; Fundação Carmona e Costa, Lisboa; Ar.Co, Centro de Arte e Comunicação Visual, Lisboa; etc.

Isabel Wolmar, faleceu  a 21 de julho de 2019. Foi artista portuguesa, mais conhecida do grande público por ter trabalhado para a rádio e para o audiovisual nas décadas de ’50, ‘60 e ‘70.

Alexandre Soares dos Santos, faleceu em Lisboa a 16 de Agosto de 2019. A causa da morte terá sido cancro no pâncreas. Foi Presidente do Conselho de Administração do mesmo grupo Jerónimo Martins, Fima Lever Portuguesa, Gelados Olá, supermercados Pingo Doce, cash & carry Recheio, Águas de Vidago, Águas de Melgaço e Pedras Salgadas, Azeite Gallo, Supermercados da Sé no Brasil, Supermercados LillyWite no Reino Unido[5] e as lojas Biedronka, na Polónia.

Roberto Leal, Faleceu aos 67 anos, em 15 de setembro de 2019. A causa da morte foi um melanoma maligno, que evoluiu, atingindo o fígado, causando a síndrome hepatorrenal. Considerado embaixador da cultura portuguesa no Brasil. Ao longo da carreira de mais de 45 anos, vendeu quase 25 milhões de discos e ganhou trinta discos de ouro, além de cinco de platina e quinhentos troféus.

Diogo Freitas do Amaral, faleceu a 3 de outubro de 2019, no Hospital da CUF, em Cascais, Lisboa, aos 78 anos, devido a um cancro ósseo. Foi um professor universitário, jurisconsulto, político, diplomata, divulgador histórico, romancista e dramaturgo português. Considerado um dos “Pais” da democracia Portuguesa.

Avelino Ferreira Torres, faleceu a 8 de outubro de 2019, aos 74 anos de idade, no Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel, onde se encontrava internado devido a complicações decorrentes de uma infeção respiratória e pulmonar. Na política e no futebol, as polémicas sempre foram uma constante na sua vida pública. Em julho de 1985, convidou as Doce a participarem num espetáculo em Marco de Canaveses. No decorrer desse espetáculo, o então presidente quis gravar a atuação em vídeo. Como tal foi recusado pelas cantoras, uma vez que não fazia parte do contrato, Avelino Ferreira Torres subiu ao palco e chamou-as de “lambisgóias” e “badamecas”. Num jogo de futebol do Marco de Canaveses, por discordar de decisões do árbitro, assumiu uma postura violenta, no estádio que ostentou o seu nome. Posteriormente o seu nome foi retirado do estádio a que foi atribuído o nome “Estádio Municipal do Marco de Canaveses”. Figura regular dos meios de comunicação nacionais, aceitou também participar no reality-show televisivo Quinta das Celebridades.

Rui Jordão, faleceu em 18 de outubro de 2019 aos 67 anos de idade, depois de ser hospitalizado por problemas cardíacos resultantes duma doença cardíaca rara mais frequente em pessoas de ascendência Africana. Jogador de Furtebol de qualidade inquestionável, jogou no Benfica, Sporting, Real Zaragoza e V. Setúbal.

Teresa Tarouca, faleceu a 11 de novembro de 2019, no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa, vítima de pneumonia dupla. foi uma fadista portuguesa. Algumas das suas canções mais conhecidas são “Mouraria”, “Deixa Que Te Cante Um Fado”, “Fado, Dor e Sofrimento”, “Passeio à Mouraria” ou “Saudade, Silêncio e Sombra”. Teresa Tarouca actuou em vários países como Dinamarca, Bélgica, Espanha, Estados Unidos da América ou Brasil.

José Mário Branco, foi um músico e compositor (cf. cantautor) português. Faleceu aos 77 anos, de Acidente Vascular Cerebral na madrugada do dia 19 de novembro de 2019, em Lisboa. Temas como “Que inquietação”, “Vim de muito longe”, “Qual é a tua ó meu” ou “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades” tornaram-se amplamente conhecidos.

Argentina Santos, faleceu no dia 18 de novembro de 2019, no Hospital de Santa Maria em Lisboa. Foi uma fadista portuguesa, considerada uma das últimas divas do fado castiço.

Joaquim Moutinho, faleceu em 22 Novembro de 2019, aos 67 anos de idade, devido a uma doença prolongada.  Foi um piloto de automóveis português, que se destacou na modalidade do rally. Pela Renault, foi campeão nacional em 1985 e 1986. Pela sua vitória de 1986, tornou-se o único piloto português a vencer uma das provas do campeonato do Mundo. Ambas as vitórias foram feitas com um Renault 5 Turbo, e formando equipa com o navegador Edgar Fortes.

Eduardo Nascimento, faleceu em 22 de novembro de 2019, vítima de doença prolongada. Foi um cantor e músico português que em 1967 apresentou-se com o tema O Vento Mudou, vencedor do Festival RTP da Canção. A música foi representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção, realizado em Viena, ficando em 12º lugar (ex-aequo com a Finlândia), entre dezassete países.