[서평] Por que o movimento do hidrogênio é incerto





Escrito por Cha Do Won e Lee Seol Ah. Enviada por Casa da Sabedoria.


Muitas empresas como Hyundai Motor Company, Kakao, Socar e Tada estão correndo para o futuro da era da mobilidade. No entanto, existe uma limitação inerente a que a mobilidade alcançada até agora tenha permanecido ao nível da exploração de novas possibilidades no âmbito dos modos de transporte tradicionais. Existe alguma nova visão para a mobilidade que nos leve a uma revolução espacial ainda mais turbulenta?


Don Cha, presidente do Center for Mobility Research, e Sola Lee, presidente do Center for Mobility Research, argumentaram em A revolução da mobilidade por meio de mudanças disruptivas no espaço já está em andamento. Ele ilumina a tendência atual do mercado de mobilidade e apresenta tecnologias e serviços relacionados em três dimensões. Além disso, ele não esqueceu seus conselhos afiados, mas cheios de alma, sobre a indústria de mobilidade na Coréia.


revolução espacial
O primeiro capítulo explica as mudanças em nossas vidas que a direção autônoma trará. Ele retrata com ousadia a visão de uma cidade futurista inteligente guiada pela mudança para o futuro. A identidade do Centro de Mobilidade, que recentemente surgiu como um tema quente no mercado, foi renderizada em 3D.


O papel das estradas que mudaram na era pós-navegação também é bem conhecido. Em particular, o espaço urbano está mudando para o crescente número de logística e entrega, e mostra a visão da mobilidade pessoal, bem como a palavra-chave extraordinária de uma cidade de 15 minutos com origem na França. Isso é definido como o foco de uma plataforma massiva chamada Smart City.


O Capítulo 2 examina os endereços atuais das empresas que se preparam para a nova mobilidade. Em particular, ele mostrou claramente que tipo de empresas estão se movendo e que tipo de conquistas estão sendo feitas no setor de aviação urbana. A visão para a mobilidade do robô, bem como as estratégias das montadoras visando o futuro setor de energia, bem como o contexto íntimo do campo são apresentados em detalhes.


Estou um pouco cético sobre a era da mobilidade do hidrogênio. Achei que seria difícil generalizar. Diz-se que as estratégias de mobilidade de hidrogênio dos fabricantes de automóveis já não são claras. No entanto, como o mercado é aberto principalmente na China, algumas empresas estão tentando estratégias flexíveis, e há uma sugestão de que a possibilidade da era da transição do hidrogênio não deve ser completamente abandonada.


o que vai mudar


O Capítulo 3 detalha o presente e o futuro das montadoras que desafiam o Nível 3. No caso em que o Nível 3 é uma abreviação de Nível 4, fornecemos roteiros para muitas montadoras, como Honda, BMW e Hyundai. Também chama a atenção para a interface usuário-máquina e o sistema de monitoramento do motorista como o núcleo da tecnologia de direção autônoma de nível 3.


O Capítulo 4 resume tecnologias e serviços relacionados à direção autônoma. Prestamos atenção à visão e escalabilidade do carro conectado, que deverá representar 90% até 2030, e resumimos os serviços do mundo real que podem ser desfrutados em carros conectados e veículos autônomos com exemplos. Ele define o modelo para veículos baseados em propósitos ainda não totalmente regulamentados e informa a visão de pequenos robôs de entrega.


A percepção do autor sobre as altas expectativas do autor para a tecnologia de condução autônoma no aspecto logístico também foi claramente revelada, como a previsão de que os caminhões autônomos seriam comercializados mais rapidamente do que os táxis automatizados. Aqui, apresentaremos a Questão Essencial, uma visão ousada do período de comercialização de veículos totalmente autônomos, bem como o lidar, um componente-chave da direção autônoma, e os cavalos autônomos da China.


A revolução começou


No quinto capítulo, o futuro dos carros elétricos é uma tendência irresistível, e a competição entre montadoras que já entraram no mercado e novos desafiantes se desenrola de forma interessante. Acima de tudo, ele se interessou pelo ecossistema de carregamento e fez uma análise séria do pivô da era do carro elétrico.


A cena que detalha o corte transversal da infraestrutura de carregamento de veículos elétricos e a política de troca de baterias por meio dos exemplos da China e da União Europeia também chama a atenção.


O Capítulo 6 redefine o conceito de carros. Mostrar uma nova tendência em automóveis evoluindo do transporte atual orientado a veículos para computadores. Acima de tudo, ele sinalizou a base para a nova era da mobilidade argumentando que o sistema operacional é o que move o carro. Claro, não me esqueci de apresentar a situação atual de alguns perigos como a pirataria e os vários esforços para se preparar para isso.


Por fim, também foi apresentada uma mensagem sobre a indústria coreana de mobilidade. Ao compartilhar a situação atual de investimento insuficiente, ele insistiu que a atenção deve ser dada ao cenário em rápida mudança do setor de mobilidade. O conselho é implementar uma estratégia ganha-ganha que capture tanto os consumidores quanto os custos.


Noções básicas de transformação de mobilidade


A Pós-Mobilidade está prestando atenção às linhas entre as montadoras de hoje, bem como empresas de TIC como Google, Baidu e Naver, que estão dando o salto para a tecnologia de direção autônoma. Como o mercado de mobilidade aérea urbana também está aberto, muitas empresas heterogêneas estão demonstrando interesse em entrar no novo mercado de mobilidade.


Isso porque a mobilidade é uma mudança massiva que transcende novos movimentos e altera futuros estilos de vida, empregos e até mesmo a direção dos investimentos no mercado de capitais. Com isso, o autor acredita que várias fusões e aquisições estão ocorrendo no mercado de mobilidade e, acima de tudo, é necessário entender claramente as últimas tendências para aproveitar a revolução espacial que a mobilidade representa.


De fato, foi avaliado que a locomoção é semelhante a uma espécie de organismo com base na identidade representada pelo movimento e pela expansão do espaço. O surgimento de uma nova rede que viaja entre a terra, o céu e o subsolo em breve mudará o modo de vida e o desenvolvimento da civilização. Em extensão, o autor argumenta que o futuro da mobilidade é um influxo maciço da civilização humana.

Envie artigos nas redes sociais















READ  Bolsa de Nova York fecha mista... Dow 0,33% ↓, Nasdaq 0,06% ↑

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.