[윤석열 당선] Mídia europeia: “um novo novato político declara dureza em relação à Coreia do Norte e à China”

BBC e The Guardian tomam nota da promessa de abolir o Ministério do Entretenimento… Le Figaro ‘o mais controverso da história da democracia coreana’

O alemão SZ FAZ está interessado nas relações com os Estados Unidos, o público e a Coreia do Norte … “Alcançar a unidade é a prioridade urgente”

Yeon Seok Yeol está falando

(Seul = Yonhap News) Repórter Lee Jeong-hoon = Presidente eleito Yoon Seok Yeol fala na cerimônia de dissolução da antiga sede realizada na Biblioteca da Assembleia Nacional na tarde do 10º dia. 2022.3.10 [국회사진기자단] uwg806@yna.co.kr

(Berlim, Paris = Yonhap News) Repórter Lee Yul Hyeon Hye-ran = meios de comunicação europeus como Grã-Bretanha, Alemanha e França também destacaram as notícias da eleição do candidato Seok-yeol Yoon, People’s Power, na 20ª eleição presidencial. Eleição da República da Coreia.

A mídia prestou atenção ao fato de que o presidente eleito Yoon era um recém-chegado do DPP e não tinha experiência política, e previu que, no cenário internacional, ele faria uma voz mais forte contra a Coreia do Norte e a China do que o atual governo sul-coreano.

A BBC informou que o presidente eleito Yoon o chamou de “novato na política” e disse: “Depois de uma competição acirrada, ele venceu a contagem final pela margem mais baixa da história, inferior a 1%”.

A BBC informou que os preços dos imóveis, o crescimento econômico, o desemprego entre os jovens e a desigualdade de gênero foram as preocupações dos eleitores nesta eleição na Coréia, e que o presidente eleito Yoon fez da abolição do Ministério da Igualdade de Gênero e Família uma promessa central de campanha.

Ele acrescentou: “Durante a campanha eleitoral, ele se inclinou fortemente para os jovens apoiadores, alguns dos quais argumentaram que não havia sexismo organizado na Coréia”.

READ  Yonhap News TV

O jornal britânico Guardian informou que o “ex-procurador-geral conservador” “ganhou após uma batalha feroz” em uma “eleição excepcionalmente amarga, manchada por escândalos e calúnias”.

“Ele, que admitiu ser ‘antifeminista’, prometeu abolir o Ministério da Igualdade de Gênero e da Família, alegando que as mulheres coreanas não são sistematicamente discriminadas, apesar de muitas evidências”, escreveu o Guardian.

Em um artigo de Seul, o jornal francês Le Figaro apresentou Yoon como um “novato político que tomará o poder como uma das dez maiores potências econômicas do mundo” que venceu “a eleição presidencial mais controversa da história da pequena RPDC”.

O Le Figaro disse que o presidente eleito Yoon, que quebrou a tradição de que conservadores e progressistas ocupam alternadamente a Casa Azul há 10 anos, está trabalhando em estreita colaboração com os Estados Unidos e prevendo uma linha dura na Coreia do Norte e na China.

A revista de negócios francesa Legeco relata que o presidente eleito Yoon entrou na política no ano passado depois de encerrar uma carreira impressionante como promotor e derrotar o candidato do partido de centro-esquerda por uma margem muito estreita.

O presidente eleito Yoon, que prometeu fortalecer os laços com os Estados Unidos, adotará uma linha dura com a Coreia do Norte, que retomou os testes de mísseis após as negociações falharem, e exigirá mais da China, o maior parceiro econômico da Coreia do Sul, disse Risico.

O jornal alemão Süddeutsche Zeitung (SZ) disse que o presidente eleito Yoon obteve a menor margem na história da eleição presidencial coreana e indicou que, de fato, alcançar a unidade seria uma prioridade e um desafio para ele.

SZ previu que sua eleição mudaria o clima no leste da Ásia. Internamente, há expectativas de uma melhor política econômica e, no exterior, há uma atmosfera para esperar uma postura mais clara sobre as disputas com a China e a Coreia do Norte, disse o jornal.

READ  [고종완의 부동산 더하기 곱하기] O centro de Seul ri e a primeira nova cidade chora... Mercado de reconstrução que se tornou um ponto importante - Kookmin Ilbo

O jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAZ) informa que o presidente eleito Yun anunciou que fortalecerá externamente a aliança com os Estados Unidos e que deverá seguir um caminho pró-americano entre os Estados Unidos e a China.

Vaz observou que o presidente eleito Yoon Seok-yeol deve seguir um novo caminho nas relações com a Coreia do Norte, e enfatizou que a Coreia do Norte deve desistir irreversivelmente de suas armas nucleares para cooperar com o Sul.

O presidente eleito Yoon não descartou a possibilidade de um ataque preventivo à defesa e, se necessário, anunciou que promoveria a expansão do Sistema de Defesa de Mísseis de Alta Altitude (THAAD) liderado pelos EUA, disse Vaz.

runran@yna.co.kr

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *