Aplicativo de ‘jogo virtual de escravidão e tortura’ do Brasil é removido em… controvérsia

Prazo de entrega2023-05-26 05:24

1.000 downloads em um único mês… Protestos continuam como ‘promoção de discriminação racial’

Pessoas celebrando o festival no estado da Bahia, conhecido como a região de maior influência africana no Brasil

[EPA 연합뉴스 자료사진. 재판매 및 DB 금지]

(Cidade do México = Yonhap News) Repórter Lee Jae-Rim = Surge no Brasil um aplicativo de jogo para celular (app) que tortura escravos negros virtuais. O aplicativo em questão já foi removido.

De acordo com a CNN Brasil no dia 25 (horário local) e Folha de São Paulo, um jornal diário local, no dia 20 do mês passado, um jogo intitulado ‘Slavery Simulator’ foi lançado na Google Play Store no Brasil. Dispositivos móveis, incluindo telefones celulares.

É um método de trabalhar, trocar ou negociar enquanto possui um escravo virtual, com o usuário selecionando sua ‘busca mestre’ desejada de ‘tirano’ ou ‘libertador’. Segundo a CNN Brasil, a editora (Magnus Games) explicou que o objetivo do jogo é “tornar-se um rico proprietário de escravos ou liderar o caminho para a abolição da escravidão”.

No jogo, escravos negros aguardam o ‘comando’ do usuário com correntes no pescoço, pulsos e tornozelos.

A editora disse que o jogo foi feito para fins de ‘entretenimento’. Ele também é conhecido por ter explicado que “se opõe e condena a escravidão em qualquer forma”.

O aplicativo, que até recentemente podia ser baixado gratuitamente por qualquer pessoa, inclusive por menores de idade, tem gerado polêmica entre os usuários, aponta a Folha de São Paulo. Ao contrário da intenção da produtora, aumenta a violência dos usuários e promove a discriminação racial.

Em particular, as análises de jogos, relata a CNN Brasil, incluem comentários como: “Faltam muitas opções de tortura. Por favor, adicione um chicote.”

Quando o problema surgiu, o Google removeu o aplicativo às 17h30 do dia 24, um mês após o lançamento do jogo. A mídia local informou que ele foi baixado cerca de 1.000 vezes até agora.

pensador lula

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula Tasiuba coloca a cabeça entre as mãos durante uma reunião para promover a compra de veículos no palácio presidencial em Brasília, Brasil, 25 de maio (horário local). 2023.05.26

Em um comunicado, o Google disse: “Não permitimos aplicativos que promovam violência ou ódio contra indivíduos ou grupos com base em raça ou etnia”.

READ  América, América Central e do Sul: Internacional: Notícias: Hankook

O Brasil, junto com os Estados Unidos, teve um forte sistema de escravidão nas Américas no passado. Em particular, de meados dos anos 1500 até o final dos anos 1800, 4 milhões de africanos vieram para o Brasil para explorar a mão-de-obra nas plantações de açúcar e café.

A escravidão foi abolida no Brasil apenas em 1888. Isso foi 20 anos depois que os Estados Unidos declararam a emancipação dos escravos em 1863.

Enquanto isso, o governo brasileiro coincidentemente realizou o evento ‘Africa Day’ neste dia, e teve tempo para reconhecer o valor das raízes africanas, que tiveram um grande impacto na sociedade brasileira.

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula Dasoa twittou: “Retomar as relações com a África, por outro lado, significa nos reunirmos com nossa pátria”. Ele também denunciou a discriminação racial.

walden@yna.co.kr

Relatório via KakaoTalk okjebo

Reprodução não autorizada – redistribuição proibida>
2023/05/26 05:24 Enviar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *