Brasil declara emergência de saúde pública para os Yanomami que sofrem de desnutrição

resumo do artigo

Mineração ilegal que espalha malária… Taxa de mortalidade de crianças menores de 5 anos aumentou 29%
O presidente Lula condenou a desnutrição como uma “situação absurda que não pode existir”.



[데미니 마을(브라질 아마존 열대우림)=AP/뉴시스]Duas crianças indígenas Yanomami se encostam ombro a ombro em 22 de março de 1998 na aldeia de Demini na floresta amazônica do Brasil. O governo brasileiro declarou uma emergência de saúde pública para os Yanomami, uma tribo amazônica que sofre de malária e desnutrição devido à mineração ilegal. 2023.01.22

[브라질리아(브라질)=AP/뉴시스]Correspondente Yoo Se-jin = O governo brasileiro declarou uma emergência de saúde pública para os Yanomami, uma tribo amazônica que sofre de malária e desnutrição devido à mineração ilegal.

O decreto, assinado pela ministra da Saúde, Nícia Trindade, na noite do dia 20, não tem prazo de validade e permite a contratação de pessoal adicional. A Lei também exige que o órgão responsável publique relatórios sobre a saúde e o bem-estar geral dos grupos indígenas.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criou um comitê multiministerial a ser coordenado pelo chefe de gabinete durante um período inicial de 90 dias. O presidente Lula visitou Boa Vista, capital da província de Roraima, onde muitos pacientes Yanomami estão internados.

Os Yanomami são o maior grupo indígena do Brasil, cobrindo mais de 9 milhões de hectares (90.000 km2) na parte norte da floresta amazônica perto da fronteira com a Venezuela, com uma população de cerca de 30.000.

Nos últimos anos, especialistas alertaram sobre uma crise humanitária e de saúde iminente. Um relatório intitulado “Yanomaji sob ataque” do Instituto de Pesquisa Social e Ambiental, sem fins lucrativos, observou que a região é responsável por 50% dos casos de malária do país em 2021 e que mais de 3.000 crianças Yanomaji estão desnutridas.

READ  NASA lança telescópio espacial James Webb de US $ 10 bilhões

O maior problema dos Yanomami é o garimpo ilegal. Os mineiros foram acusados ​​de ameaças de morte, violência sexual e abuso de álcool e drogas, principalmente contra crianças aborígines. O mesmo relatório constatou que mais de 40 pistas foram construídas ilegalmente por mineiros apenas na área, e alguns dos centros de saúde criados pelo governo na área foram ocupados por mineiros.

No início desta semana, o Ministério da Saúde do Brasil montou uma equipe para realizar uma missão especial de saúde na região Yanomami. A visita do presidente Lula ao estado de Roraima seguiu uma reportagem de um site de notícias independente local que expôs fotos chocantes de crianças Yanomami desnutridas.

Segundo o relatório, nos últimos quatro anos, durante a presidência do ex-presidente Jair Bolsonaro, a taxa de mortalidade de menores de cinco anos aumentou 29% em relação ao governo anterior, com 570 crianças Yanomami morrendo de doenças tratáveis ​​entre 2019 e 2019. 2022.

O presidente Lula, que visitou Bovista com vários ministros, disse que o sofrimento das crianças Yanomami devido à desnutrição é um absurdo e não deve ser tolerado.

◎Sympathy Media Newsis dbtpwls@newsis.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.