Comer como um homem das cavernas, dieta paleo, quais são os benefícios para a saúde?

clipart coreia
clipart coreia

A notícia foi relatada de que não há evidências científicas que comprovem que a dieta paleolítica, chamada de dieta paleolítica, seja superior a outras dietas.

Um comunicado de imprensa da Medicalnewstoday discutiu os benefícios e riscos para a saúde da dieta Paleo, que consiste apenas em alimentos consumidos pelos neandertais no Paleolítico.

A dieta Paleo come grandes quantidades de carne, frutas, legumes, nozes e sementes e limita legumes, laticínios e grãos. Por ser composto apenas por alimentos que podem ser obtidos da natureza, ajuda a controlar o colesterol, a pressão arterial e a glicemia, e é conhecido por ser eficaz na perda de peso, melhora da saciedade, melhora da saúde intestinal e redução da mortalidade.

No entanto, embora os benefícios para a saúde da dieta Paleo sejam claros entre os especialistas, as opiniões estão divididas sobre se é necessário limitar grãos, legumes e laticínios para esse fim.

Uma revisão publicada em 2015 analisou quatro ensaios clínicos randomizados em 159 participantes com pelo menos um dos cinco componentes da síndrome metabólica. Os pesquisadores descobriram que a ingestão de nutrientes do Paleolítico reduziu a circunferência da cintura e melhorou os triglicerídeos, a pressão arterial, o colesterol HDL e os níveis de açúcar no sangue em um período mais curto de tempo em comparação com uma dieta restrita em calorias.

Um estudo publicado no Nutrition Journal avaliou vários ensaios clínicos randomizados para estabelecer uma relação entre dieta paleolítica, prevenção e controle de doenças crônicas e antropometria. O estudo descobriu que as pessoas que seguiram a dieta paleolítica perderam em média 3,52 kg de peso e diminuíram a circunferência da cintura e o índice de massa corporal (IMC) em comparação com aqueles que seguiram outras dietas comumente recomendadas.

READ  Terreno vulcânico de gelo até 7 km de altura em Plutão, 'reino de gelo'

Como o excesso de peso é um dos principais riscos de desenvolver doenças crônicas, os pesquisadores sugeriram que seguir uma dieta paleo pode reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas.

Então, a dieta paleo é melhor do que outras dietas?

Um estudo publicado no Journal of Nutrition teve como objetivo examinar a relação entre a dieta paleolítica e a dieta mediterrânea, juntamente com a mortalidade por todas as causas e todas as causas. Eles também descobriram que aqueles que seguiram a dieta paleo ou mediterrânea reduziram a mortalidade por todas as causas, reduziram o estresse oxidativo e reduziram as mortes por doenças cardíacas e câncer.

Uma meta-análise realizada em 2020 analisou quatro estudos comparando a dieta paleo com a dieta mediterrânea, a dieta diabética e outras dietas recomendadas pela Comissão de Saúde Holandesa. Como resultado, não houve melhora significativa na glicemia em jejum, nos níveis de insulina ou nos níveis de HbA1c naqueles que seguiram a dieta paleo em comparação com outros métodos de dieta.

Além disso, um estudo publicado no Journal of Nutrition em janeiro de 2020 analisou os efeitos de diferentes dietas, incluindo a dieta paleo e o jejum intermitente, e os autores descobriram que, até o momento, nenhuma dieta específica pode efetivamente apoiar a perda de peso em todos os indivíduos. Em outras palavras, concluem que as dietas para perda de peso consistem em um balanço energético negativo com ênfase na qualidade dos alimentos.

Mais tarde, também foram relatadas informações sobre os perigos da dieta paleo. A eliminação de certos grupos de alimentos pode melhorar alguns indicadores de saúde e levar à perda de peso, mas pode levar a deficiências nutricionais e representar riscos à saúde a longo prazo.

READ  “Adeus, Voyager”... um mundo lindo que foi capturado por meio século

Por exemplo, a dieta paleo limita os produtos lácteos ricos em cálcio e vitamina D, essenciais para a saúde óssea e que podem levar à osteoporose e fraturas. A soja também é uma excelente fonte de minerais, fibras e proteínas vegetais, que podem reduzir o colesterol e promover a sensação de saciedade após uma refeição.

Além disso, a dieta paleo é conhecida por promover a saúde intestinal, mas um novo estudo descobriu que ela contém um microbioma intestinal diferente e níveis mais altos de N-óxido de trimetilamina (TMAO), um composto ligado a doenças cardiovasculares. Este estudo reforça a recomendação de incluir alimentos ricos em fibras e grãos integrais em uma dieta paleo para manter a função cardiovascular e a saúde intestinal.

Além disso, entre aqueles que seguem a dieta paleo, a carne é usada como desculpa para comer demais. Consumir mais do que a quantidade diária recomendada de carne vermelha pode aumentar o risco de doenças crônicas, diabetes e mortalidade em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.