Déjà Lu, em Cascais, destacada no “radar” do The Guardian

 

O romancista inglês, Jonathan Coe, que esteve recentemente em Cascais, destacou a livraria Déjà Lu na sua coluna habitual no The Guardian, intitulada “On my radar”.

Jonathan Coe descreve, no seu artigo, a Déjà Lu como “uma bela livraria de caridade” situada dentro da fortaleza da Cidadela (uma fortaleza do século XVII), na elegante cidade turística de Cascais.

O escritor que esteve numa residência literária internacional em Cascais, durante cerca de dois meses, a convite da Fundação D. Luis I, para o lançamento do seu último romance “O Coração de Inglaterra” em Portugal.

O destaque atribuído à livraria Déjà Lu reveste-se de particular importância para a promoção do seu projeto de angariação de fundos para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 (Síndrome de Down).

Uma livraria solidária, nascida para ajudar

A Déjà Lu é uma livraria de caráter solidário, onde a venda de todos os livros reverte para o apoio à integração profissional de jovens com Trissomia 21.

Este projeto é uma iniciativa de Francisca Prieto, que começou com a criação de um blogue para leiloar livros usados, ou seja, já lidos e que deu origem ao nome do projeto “déjà lu”.

Francisca Prieto abriu as portas da livraria há 5 anos e todas as receitas revertem a favor da Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 (APPT21), onde era voluntária.

Com o apoio da Pousada de Cascais a livraria inaugurou-se no espaço atual, em Fevereiro de 2015, e teve o apadrinhamento de várias figuras públicas como o pianista Mário Laginha, as actrizes Beatriz Batarda e Leonor Silveira, o desiner José António Tenente e o humorista Bruno Nogueira.