Ele acrescentou: “Israel e o Hamas também estão discutindo a libertação de todos os 100 reféns civis”.

À medida que o conflito armado entre a facção armada palestina Hamas e Israel continua, fotos de reféns do Hamas são exibidas nos muros da Cidade Velha de Jerusalém no dia 6 (hora local). /AFP Notícias Yonhap

Um plano para libertar todos os 100 reféns israelenses detidos na Faixa de Gaza devido à guerra entre Israel e o grupo militante palestino Hamas está supostamente sendo discutido.

No dia nove deste mês (hora local), o jornal americano The New York Times noticiou, citando uma fonte próxima das autoridades israelitas, que Israel e o movimento político armado palestiniano Hamas estavam a negociar duas propostas. Um envolve a libertação de um pequeno número de pessoas e o outro envolve a libertação de todos os reféns civis.

As fontes afirmaram que dos 240 reféns detidos pelo Hamas e outros grupos políticos armados na Faixa de Gaza, menos de metade, ou cerca de 100, são civis, e que todos os civis poderão ser libertados dependendo do progresso das negociações. Uma das coisas que está actualmente a ser discutida é que o Hamas liberte entre 10 e 20 pessoas, incluindo mulheres e crianças israelitas, cidadãos americanos e outros estrangeiros, em troca de uma cessação temporária dos combates. Além disso, está a ser discutido um plano para libertar cerca de 100 civis adicionais se as condições exigidas pelo Hamas forem cumpridas. O Hamas exige o fim dos combates, o fornecimento de ajuda humanitária adicional e combustível para hospitais, e a libertação de mulheres e crianças palestinianas presas em Israel em troca da libertação de todos os reféns civis.

No entanto, no que diz respeito a esta proposta, sabe-se que as autoridades israelitas manifestaram incerteza quanto à libertação de prisioneiros palestinianos. As negociações estão a ser mediadas pelo Qatar, onde está localizado o gabinete político do Hamas, e também participarão altos funcionários americanos. O New York Times acrescentou que o gabinete do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, recusou um pedido para comentar o relatório.

READ  “Enviaram 1.000 contentores de armas”, sublinhou o apoio da Coreia do Norte à Rússia

Há também relatos de que as negociações sobre a libertação de reféns detidos pelo Hamas estão a enfrentar dificuldades devido à posição linha-dura de Israel. No mesmo dia, o The Guardian noticiou, citando uma fonte anônima, que “o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, recusou-se a negociar com o Hamas uma suspensão das operações militares por cinco dias em troca da libertação de alguns reféns mantidos na Faixa de Gaza no início. Do ano.” a guerra.”

O jornal The Guardian noticiou que as negociações continuaram desde o dia 27 do mês passado, quando começou o ataque terrestre israelita, mas o primeiro-ministro Netanyahu assumiu uma linha dura, rejeitando completamente as negociações que incluíam uma “suspensão temporária” em troca da libertação de alguns reféns.

A posição de Israel é que não pode parar os combates até receber uma lista de reféns do Hamas, e o Hamas terá dito que será difícil divulgar a lista a menos que o ataque pare porque os reféns estão espalhados por toda a Faixa de Gaza e são mantidos em cativeiro. .

🌎Questões globais selecionadas pelo Departamento Internacional Chosun Ilbo! Assine a nossa newsletterhttps://page.stibee.com/subscriptions/275739

🌎Resolva o teste internacional e ganhe presentes! ☞ https://www.chosun.com/members-event/?mec=n_quiz

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *