Fácil de esquecer… Mandarin Orange Storm está na temporada de No Yu-Jeong nos Estados Unidos da América

Mandarim, Danger, Clementine… a paixão de American Danger
Fácil de descascar com as mãos, popular
Preços da laranja subiram devido a safras lentas
Boas notícias para países exportadores de citros como o Chile

As tangerinas estão crescendo rapidamente nos Estados Unidos, a ‘terra das laranjas’. Três anos depois, projeta-se que o consumo de tangerinas seja maior do que o consumo de laranja até 2025. A maior razão é simples. Isso ocorre porque as tangerinas são mais fáceis de esquecer do que as laranjas. Mas nos bastidores, há um fenômeno de declínio da produção de laranja devido ao clima, doenças e fazendas em declínio.

A Bloomberg informou no dia 2 (horário local) que o consumo de frutas cítricas como tangerina, tangerina e clementina nos Estados Unidos fecha a lacuna com a laranja. O mandarim é chamado de Dangerine na Coréia. As tangerinas parecem laranjas, mas são menores e têm a casca mais macia, facilitando o descascamento. Clementine é um tipo de tangerina produzido principalmente na Europa.

Entre 2020 e 2021, um americano consumiu 8,6 quilos de laranjas por ano, segundo dados do Rabobank, o maior banco agrícola do mundo. Se convertido para quilogramas, é cerca de 3,9 quilogramas. O consumo per capita de laranja em 2012 ultrapassou 10 quilos há uma década, mas está diminuindo gradualmente.

Por outro lado, o consumo de frutas cítricas chamadas tangerinas está aumentando constantemente. Em 2008, o consumo de tangerina por americano foi de 3 libras (1,4 kg), mas no ano passado dobrou para 6,7 ​​libras. Este ano espera-se que suba acima de 7 libras.

"Fácil de esquecer"Tempestade 'perigosa' nos Estados Unidos, a terra das laranjas [노유정의 제철]

O Rabobank prevê que entre 2024 e 2025, quando o consumo de tangerinas for superior ao de laranjas, haverá uma ‘cruz de ouro’. Pela primeira vez, as previsões de consumo de tangerina nos EUA são de 0,5 8,5, que é a primeira vez que 8,4 libras superam as expectativas de consumo de laranja. Nos Estados Unidos, que se classifica como o maior produtor de laranja do mundo junto com o Brasil, os consumidores estão optando por tangerinas em vez de laranjas.

READ  O segredo dos preços do café... a tragédia da mudança repentina de preços

A conveniência é a razão número um pela qual os americanos mudam seu sabor de laranja para tangerina. Laranjas com casca grossa são difíceis de descascar com as mãos nuas. Ele pode ser comido apenas quando é usado em excesso e a pele é descascada. As tangerinas são fáceis de comer e seu tamanho pequeno facilita o controle da quantidade.

O fraco rendimento de laranja também desempenha um papel. A praga das folhas cítricas se espalhou recentemente e os rendimentos estão diminuindo na Flórida, uma das principais áreas produtoras de laranja. Uma garrafa onde as laranjas caem sem amadurecer adequadamente. A produção de laranja estagnou desde 2011 e o número de agricultores diminuiu. A Bloomberg estima que a produção de laranja da Flórida este ano será de 38,2 milhões de caixas, a menor desde 1943, durante a Segunda Guerra Mundial.

O Brasil, que responde por 30% da produção mundial de laranja, acendeu a luz vermelha para a colheita da laranja. Isso porque as condições climáticas, como a queima das folhas cítricas, geadas e secas devastaram a safra de laranja.

Laranja verde cítrica

Laranja verde cítrica

Quando as colheitas são mal colhidas, os preços sobem e a qualidade das colheitas lançadas no mercado diminui. De acordo com a InterContinental Exchange (ICE), o preço do suco de laranja congelado para julho foi de US$ 177,75 por libra-peso, alta de 21,3% em relação ao início do ano. Isso representa um aumento de 55,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Nessa situação, é natural que as frutas cítricas, mais fáceis de comer e relativamente baratas que as laranjas, estejam surgindo como tendência.

Quem ri da mudança de gosto dos consumidores americanos? Os países sul-americanos exportam tangerinas para os Estados Unidos. Um país típico é o Chile. Segundo a Bloomberg, o Chile é o maior exportador de frutas cítricas para a América do Norte. Segue-se Peru, Argentina e Uruguai.

READ  Trina Solar fornece módulos e rastreadores no Brasil

Repórter No Yu-Jeong yjroh@hankyung.com

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *