Índice mundial de preços de alimentos diminui – Informações sobre fazendas

Preços de cereais, petróleo e laticínios caem apesar dos fortes preços do açúcar

Os índices de preços do leite continuam em queda, uma vez que a oferta de queijo é adequada.

Apesar dos fortes preços do açúcar, o índice mundial de preços de alimentos caiu em maio devido à queda nos preços dos cereais.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o Índice Mundial de Preços Alimentares registou 124,3 pontos em maio de 2023, uma queda de 2,6% face ao mês anterior (127,7 pontos).

Por grupo de produtos, os preços dos cereais, óleos e laticínios continuaram em queda, enquanto os preços das carnes e do açúcar mantiveram a tendência de alta.

No índice de preços das commodities, o índice de preços dos grãos registrou 129,7 pontos, queda de 4,8% em relação a abril (136,1 pontos).

A oferta de 2023/24 será abundante e os preços internacionais do trigo diminuíram devido à extensão do Acordo de Grãos do Mar Negro. Os preços do milho também caíram devido às expectativas de que as exportações de milho dos EUA estagnariam após um aumento na produção no Brasil e nos EUA, os dois maiores exportadores, e a redução das importações da China. No entanto, no caso do arroz, os preços internacionais subiram devido à redução da oferta de alguns países exportadores, como Vietnã e Paquistão.

As gorduras e óleos registraram 118,7 pontos, queda de 8,7% em relação ao mês anterior (130,0 pontos).

Os preços do óleo de palma caíram devido às quedas contínuas na demanda internacional de importações e às perspectivas de aumento da produção dos principais produtores, enquanto os estoques de óleo de soja aumentaram mais do que o esperado devido, em parte, ao aumento da produção de soja no Brasil e à demanda de soja por biocombustíveis nos Estados Unidos. Substituída por outras culturas. Devido ao impacto das manchas, etc., o preço baixou. Os preços dos óleos de colza e girassol caíram devido à oferta internacional adequada.

READ  'Lotado' com cenas de brincadeiras infantis do pavilhão belga

As carnes registraram 117,9 pontos, 1,0% acima do mês anterior (116,7 pontos).

Os preços das aves subiram devido à alta demanda de importação da Ásia e às preocupações com a oferta de curto prazo devido à disseminação da gripe aviária. Quanto à carne suína, os preços subiram devido à menor produção devido aos custos mais altos e ao aumento da demanda pela carne suína brasileira devido a surtos de doenças pecuárias em outras regiões.

Os lácteos registraram 118,7 pontos, queda de 3,2% em relação ao mês anterior (122,6 pontos).

Houve ampla disponibilidade de queijos para exportação, inclusive estoques, e os preços caíram fortemente ao mesmo tempo em que a produção de leite aumentou no Hemisfério Norte. No caso do leite em pó, os preços subiram devido ao aumento da demanda no norte da Ásia e à redução da oferta de leite na Oceania. No caso da manteiga, os preços subiram devido à redução da oferta de leite na Oceania e ao aumento da demanda dos países do Sudeste Asiático.

O açúcar ficou em 157,6 pontos, 5,5% acima do mês anterior (149,4 pontos).

Oferta internacional abaixo do esperado em 2022/23, atrasos nas exportações de açúcar do Brasil devido aos embarques de soja e milho contribuíram para preços mais altos em meio a temores de que o El Niño possa reduzir a produção em 2023/24. No entanto, em 2023, a produção de cana-de-açúcar do Brasil deve aumentar e a colheita está indo bem com a melhora do clima, portanto o aumento de preço não é grande. A queda do preço do petróleo bruto no mercado internacional também influenciou a alta do preço do açúcar.

READ  Futuros de ações sobem após recorde de Wall Street

Enquanto isso, a FAO prevê que a produção mundial de cereais em 2023/24 aumente 1,0% (26,6 milhões de toneladas) de 2022/23 para 2.813,1 milhões de toneladas.

O consumo mundial de cereais está previsto em 2.803,8 milhões de toneladas em 2023/24, um aumento de 0,9% (26,1 milhões de toneladas) em relação a 2022/23.

Prevê-se que os estoques finais mundiais de cereais para 2023/24 diminuam 1,7% (14,8 milhões de toneladas) para 873,0 milhões de toneladas em comparação com 2022/23.

Copyright © Farm Intelligence Proibida a reprodução e redistribuição não autorizada

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *