O Ocidente contra a Rússia é uma guerra de palavras no Conselho de Segurança… A suspensão do acordo de grãos no Mar Negro é uma situação de refém para a humanidade.

Prazo de entrega2023-07-22 18:01

A Rússia refuta que “o levantamento fundamental de sanções, como a retomada do sistema de pagamentos bancários, deve ser decidido primeiro”

Um vendedor exibe grãos em um mercado em Sana’a, Iêmen

[EPA=연합뉴스 자료사진. 재판매 및 DB 금지]

(Seoul = Yonhap News) Correspondente Choi In Young = A Rússia e o Ocidente entraram em um confronto agudo no Conselho de Segurança da ONU sobre a situação em que as exportações de grãos da Ucrânia foram prejudicadas devido à retirada da Rússia do Acordo de Grãos do Mar Negro.

O diário americano The New York Times afirmou, numa reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas no dia 21 (hora local), que altos funcionários da ONU e diplomatas ocidentais, incluindo os Estados Unidos e a Europa, criticaram a Rússia por travar o Acordo dos Grãos do Mar Negro.

Por outro lado, a parte russa ameaçou atacar navios civis que navegam no Mar Negro em consonância com o incumprimento do acordo, e sublinhou que, se o acordo for retomado, deverá cumprir as suas exigências.

O Acordo de Grãos do Mar Negro, que garantia as exportações de grãos da Ucrânia pelo Mar Negro mesmo durante a guerra, foi assinado por mediação das Nações Unidas e da Turquia em julho do ano passado, mas foi suspenso quando a Rússia anunciou no dia 17 que não iria continuar com o acordo.

À medida que os preços globais dos grãos disparam depois que a Rússia quebrou o acordo, os preços dos alimentos estão se desestabilizando e crescem os temores de que os países pobres possam passar fome.

Martin Griffiths, Subsecretário-Geral da ONU para Ajuda Humanitária e Socorro de Emergência

[AP=연합뉴스 자료사진. 재판매 및 DB 금지]

Martin Griffiths, subsecretário-geral da ONU para Alívio Humanitário e Emergências, alertou que a violação da Rússia do Acordo de Grãos do Mar Negro pode levar a uma catástrofe humanitária em todo o mundo, com 362 milhões de pessoas em 69 países dependentes de ajuda humanitária.

READ  Apesar do alerta russo... Finlândia decide se candidatar à adesão à OTAN

Ele temia que a interrupção do acordo levasse “alguns a morrer de fome, alguns a morrer e muitas pessoas a morrer”.

Rosemary Dikalo, subsecretária-geral da ONU para Assuntos Políticos e de Consolidação da Paz, também condenou a escalada do conflito no Mar Negro, que teria “sérias consequências”. Ele também condenou o ataque da Rússia aos portos ucranianos do Mar Negro e a interrupção dos embarques de grãos como “inaceitáveis”.

Dmitry Polyansky, vice-embaixador da Rússia nas Nações Unidas

[UPI=연합뉴스 자료사진. 재판매 및 DB 금지]

A Rússia deveria garantir suas exportações de grãos e fertilizantes por meio do Acordo de Grãos do Mar Negro, mas na realidade ela protesta que o acordo não pode continuar porque a promessa não foi cumprida devido às sanções ocidentais.

Dmitry Polyansky, vice-embaixador da Rússia nas Nações Unidas, enfatizou que sete condições devem ser atendidas para a Rússia aderir ao Acordo de Grãos do Mar Negro, dizendo: “Queremos uma suspensão prática, não teórica, das sanções.”

Ele disse que o acordo pode ser retomado assim que todas as condições forem atendidas, incluindo a adesão dos bancos agrícolas da Rússia ao sistema de pagamento internacional SWIFT e o reinício do oleoduto de amônia através da Ucrânia.

Em seguida, ameaçou atacar navios que se dirigiam a portos ucranianos no Mar Negro, e que o país em que esses navios estavam registrados seria considerado em guerra com ele.

A embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas Greenfield, refutou a afirmação russa.

“Eles estão exportando mais grãos do que nunca a preços mais altos. A Rússia está jogando um jogo político usando o Mar Negro para chantageá-los. Eles estão mantendo a humanidade como refém”, disse ele.

abbie@yna.co.kr

Relatório via KakaoTalk okjebo
< Detentor dos direitos autorais (c) Yonhap News Agency,
Reprodução não autorizada – a redistribuição é proibida>
22/07/2023 18:01 Enviado

READ  Foguetes atingiram o centro da cidade em plena luz do dia... A Ucrânia foi atacada indiscriminadamente a partir do continente russo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *