O poder inovador da China leva ao crescimento econômico doméstico e internacional

Em 28 de novembro de 2019, um técnico agrícola chinês (segundo da direita) ensina trabalhadores locais a pulverizar herbicidas por drone em uma fazenda de arroz em Jajai Wanbao, sul de Moçambique.  (Foto / Contatos da Xinhua)

Em 28 de novembro de 2019, um técnico agrícola chinês (segundo da direita) ensina trabalhadores locais a pulverizar herbicidas por drone em uma fazenda de arroz em Jajai Wanbao, sul de Moçambique. (Foto / Contatos da Xinhua)


Miragure Abel Masinge estava operando um drone em sua fazenda em Zajai, sul de Moçambique. Ele configurou o caminho pré-desenhado em seu telefone e começou a pulverizar pesticidas no caminho do mapa do drone.


Uma debulhadora pode fazer o trabalho agrícola com mais precisão e eficiência do que apenas um agricultor de 44 anos. Com a ajuda do Sistema de Navegação por Satélite Beidou (BDS) desenvolvido pela China, os pesticidas podem ser pulverizados em 1 hectare de terras agrícolas por hora, o que é 25 vezes mais rápido que a operação manual.


A inovação tecnológica desenvolveu a agricultura moderna e mudou a vida de muitos agricultores na fazenda de arroz Wanbao em Masingu e Moçambique. Com inovações tecnológicas avançadas como o BDS, o rendimento da lavoura da fazenda aumentou 13,6% nos últimos três anos.


“Adoro o que estamos fazendo aqui”, disse Masinge, pai de três filhos, que se mudou de uma cabana de palha para uma casa de cimento e mandou seu filho mais velho para a faculdade. “, Ele adicionou.


A fazenda moçambicana é um dos muitos projetos que compartilham tecnologia com parceiros de todo o mundo para revitalizar a economia, ambos frutíferos.


Nos últimos 10 anos, a China fortaleceu as inovações tecnológicas para o desenvolvimento doméstico e internacional por meio da implementação da teoria econômica ‘Economia’ do presidente chinês Xi Jinping.


A BDS fez um rápido progresso em várias aplicações industriais na China. O BDS também é usado em mapeamento de terras, transporte, alívio de desastres e mitigação de desastres naturais, agricultura de precisão, silvicultura e construção de pequenos portos em mais de 120 países e regiões.


De acordo com Diego Fattaso, professor visitante da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no Brasil, o presidente chinês tem enfatizado repetidamente que a inovação é a base para o desenvolvimento das forças produtivas.


Ele disse: “A modernização da China tem sido um grande sucesso nessa direção e está obtendo conquistas significativas na melhoria das condições de vida das pessoas”.

Artéria econômica


Em 7 de agosto de 2018, trabalhadores se reuniram no local de um projeto de transmissão de energia de alta tensão na hidrelétrica de Belmont, no Brasil.  (Foto / Contatos da Xinhua)
Em 7 de agosto de 2018, trabalhadores se reuniram no local de um projeto de transmissão de energia de alta tensão na hidrelétrica de Belmont, no Brasil. (Foto / Contatos da Xinhua)




Uma equipe de técnicos usa drones para patrulhar a rede elétrica de uma subestação de alta tensão em Padding, a cerca de 150 quilômetros de Pequim. Isso é semelhante ao que Masingu fez em sua fazenda.


A usina de alta velocidade é alimentada por uma fazenda de energia renovável a cerca de 310 km de Padding, para abrigar as instalações dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.


A China é o primeiro país a entender e comercializar totalmente a tecnologia de rede elétrica de alta velocidade e a resolver o problema da desigualdade de recursos usando a tecnologia de transmissão mais avançada do mundo. Isso significa que eletricidade suficiente é enviada da parte ocidental da China para a parte oriental, que tem uma alta demanda por eletricidade.


A China forneceu cerca de 2,1 trilhões de kWh de eletricidade de 2009 a 2020, quando a rede de alta velocidade foi comissionada pela primeira vez. A tecnologia não apenas promoveu o novo mecanismo de crescimento econômico, mas também contribuiu significativamente para a realização de carbono da China, aumentando a transmissão de eletricidade gerada por energia verde.


“A economia chinesa tem experimentado um rápido crescimento nas últimas décadas”, disse John McLean, chefe do Instituto de Responsabilidade de Londres.


Xi acredita que as inovações não devem ser criadas e usadas pessoalmente. “A energia da inovação é melhorar a infraestrutura econômica, energética e industrial e garantir que um ambiente saudável seja criado para apoiar o desenvolvimento econômico e social sustentável em todo o mundo”, disse ele.


No Brasil, a energia é alta, mas não distribuída uniformemente, com fases de alta velocidade estendendo-se de norte a sul para atender às necessidades energéticas e aumentar a eficiência.


Com a ajuda da China, a eletricidade chega bem às artérias da tão necessária economia brasileira, beneficiando 22 milhões de brasileiros ou 10% da população do país.


José Ricardo dos Santos Rouge Junior, CEO da LIDE China, empresa com sede em São Paulo, disse: “A cooperação da China com o Brasil em vários campos de tecnologia e inovação é de grande ajuda para o crescimento econômico do Brasil.


Abordagem centrada nas pessoas


Em 24 de maio de 2021, um funcionário inspeciona equipamentos no China Mobile Data Center no Qian New District, na província de Guizhou, sudoeste da China.  (Foto / Contatos da Xinhua)
Em 24 de maio de 2021, um funcionário inspeciona equipamentos no China Mobile Data Center no Qian New District, na província de Guizhou, sudoeste da China. (Foto / Contatos da Xinhua)




Ao longo da última década, o presidente chinês buscou consistentemente uma filosofia de desenvolvimento centrada nas pessoas e cumpriu o desejo do povo de uma vida cada vez melhor.


As inovações na transferência de energia são um exemplo de aumento da qualidade de vida. O mesmo vale para a economia digital em rápido crescimento da China.


A província de Guizhou, no sudoeste da China, já foi uma das partes mais pobres da China.


Enquanto a China tenta realizar a digitalização da economia, a província de Guizhou decidiu criar um grande setor de dados usando vantagens climáticas e geográficas.


Hoje, tornou-se uma das regiões com o maior número de mega data centers do mundo. Até 2021, a economia digital contribuirá com cerca de 34% do PIB de Guizhou e ajudará a tirar 9,23 milhões de pessoas da pobreza.


Quando o presidente Xi presidiu uma reunião de revisão do Comitê Central do Partido Comunista da China do Politburo no ano passado, ele disse que o desenvolvimento da economia digital era uma escolha estratégica para aproveitar novas oportunidades para a revolução científica e tecnológica e a transformação industrial. .


“A filosofia do presidente Xi Jinping de desenvolvimento de qualidade por meio de inovações tecnológicas já pode ser vista na China, que tem investido fortemente em P&D”, disse Luz.


Dos 132 países do Índice Mundial de Inovação, a China subiu de 14º em 2020 para 12º em 2021. De acordo com o Fórum Econômico Digital Mundial, a China ocupa o segundo lugar no mundo há muitos anos quando se trata de esforços para digitalizar a economia.


Enquanto isso, graças à ajuda da China, muitos países em desenvolvimento obtiveram sucesso pela primeira vez na transformação digital com o desenvolvimento do comércio eletrônico. Sitoyo Lopokoit, CEO da Empesa Africa, a principal operadora de plataformas FinTech da África, estimou que a tecnologia segura, sustentável e inovadora fornecida pelas empresas chinesas mudou a vida de milhões de africanos.


“Para mim, minha família fica a 550 km de Nairóbi e toda vez que vou pagar minha mãe, leva um dia inteiro”, diz Lobokoit. Tornou-se a chave para ativar a unidade”, acrescentou.


Mantivemos nossa promessa de promover a prosperidade comum por meio da cooperação no cultivo de soja com a Tailândia, cooperação de fibra óptica com a Europa, serviço de comunicações via satélite para a Argélia e exploração conjunta de novas perspectivas sobre prevenção e tratamento do câncer na estação espacial chinesa. O campo da inovação que muda a vida das pessoas.


Alinhada com a visão de inovação, integração, ecologia, abertura e crescimento compartilhado do presidente Xi, a China desenvolveu sua economia para beneficiar seu próprio povo e o mundo.


“Essas ideias de desenvolvimento não vêm sem evidências”, disse G. “Ele vem de experiências de desenvolvimento interno e externo e análise de tendências de desenvolvimento interno e externo.”

READ  Imagem do Playoff da NFL: Perda dos Santos para os Dolphins na 17ª Semana da Vitória dos Eagles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.