O que aconteceria se você fosse sugado por um buraco negro? “Além do horizonte de eventos”

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação do que seria visto ao se aproximar de um buraco negro. Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) usou um supercomputador para lançar uma simulação em vídeo do que aconteceria se você fosse sugado por um buraco negro supermassivo.

O Goddard Space Flight Center da NASA marcou recentemente a Semana do Buraco Negro (aniversário da NASA; 6 a 10 de maio de cada ano) postando imagens geradas usando o supercomputador Discover do Climate Simulation Center no YouTube.

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação do que seria visto ao se aproximar de um buraco negro.  Onde a imagem inferior direita gira.  Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube
A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação do que seria visto ao se aproximar de um buraco negro. Onde a imagem inferior direita gira. Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube
A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação do que seria visto ao se aproximar de um buraco negro.  Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube
A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação do que seria visto ao se aproximar de um buraco negro. Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube

Um buraco negro é um corpo celeste que se acredita ser o estágio final da evolução estelar, mas que não conseguiu se tornar uma estrela de nêutrons. Parece preto porque mesmo a luz não consegue escapar devido à forte gravidade, e se uma pessoa a alcança, ela se torna um “espaguete” e morre antes de poder vê-la.

Assim, para comemorar a Semana do Buraco Negro, a NASA executou um buraco negro supermassivo através de uma simulação e demonstrou dois casos: voar para fora do “horizonte de eventos”, que é o limite, ou vê-lo fora do limite.

O buraco negro simulado é um buraco negro supermassivo com uma massa 4,3 milhões de vezes a massa do Sol. O horizonte de eventos é de 16 milhões de milhas (cerca de 25 milhões de quilômetros), o que equivale a cerca de 17% da distância da Terra ao Sol. Existe um gás quente e brilhante chamado disco de acreção fora do horizonte de eventos, confirmando a presença de um buraco negro.

“Todo objeto se desintegra antes de atingir o horizonte de eventos”, disse o astrofísico Jeremy Schnittman, que gerou os dados. A força da gravidade que incide em direção à singularidade central é tão forte que deforma o objeto vertical ou horizontalmente, transformando-o em um fio de macarrão.

READ  Grandes modelos multimídia vs. Ótimo modelo de linguagem

A viagem para um buraco negro ocorre sempre em uma direção. A NASA disse que, neste caso, se cruzasse o horizonte de eventos, se transformaria em espaguete e morreria em apenas 12,8 segundos.

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação de uma órbita em torno do horizonte de eventos de um buraco negro.  Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube
A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) criou uma simulação de uma órbita em torno do horizonte de eventos de um buraco negro. Imagem = capturada pelo Goddard Space Flight Center da NASA no YouTube

Também foi simulada uma viagem de ida e volta de 6 horas sem cruzar o horizonte de eventos. Neste caso, a distorção do espaço e do tempo poderia tornar os viajantes cerca de 36 minutos mais jovens do que aqueles que não viajaram, disse a NASA. “Como hipótese mais extrema, se o buraco negro girasse tão rapidamente como no filme Interestelar, o viajante seria muito mais jovem”, disse o Dr.

Quanto mais próximo você estiver do horizonte de eventos, mais lento o vídeo se tornará. Todo o espaço-tempo que se move ao redor da circunferência é sugado para o centro e, em um ponto unidimensional chamado singularidade, todas as leis da física que conhecemos não funcionam mais. “É por isso que os astrônomos originalmente chamaram os buracos negros de ‘estrelas congeladas’”, disse a NASA.

Repórter Seo Hee Won shw@etnews.com

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *