Por que a HD Hyundai Construction Equipment não vende equipamentos pesados ​​para a Amazon?


O Greenpeace capturou um total de 176 escavações no local de extinção da Amazônia. Destas, 75 unidades (aproximadamente 42,6%) eram produtos Hyundai. Cortesia do Greenpeace

A HD Hyundai Construction Equipment decidiu interromper temporariamente as vendas de equipamentos pesados ​​de construção em três estados da Amazônia brasileira. Equipamentos pesados ​​da HD Hyundai Construction Equipment foram criticados por serem usados ​​para destruir a Amazônia brasileira.

No dia 28, a HD Hyundai Construction Equipment (doravante denominada Hyundai Construction Equipment) disse: “Nós simpatizamos profundamente com o fato de que a destruição do ecossistema amazônico e a violação dos povos indígenas pela mineração ilegal são problemas sérios”.

Mais cedo, no dia 12, o Greenpeace concedeu entrevista coletiva e disse que 75 (42,6%) das 176 escavadeiras apreendidas nos últimos três anos durante inspeções em três garimpos ilegais de ouro na Reserva Nativa da Amazônia eram equipamentos de construção Hyundai.

Greenpeace diz que equipamentos de construção da Hyundai estão “ajudando na destruição da Amazônia” A agência da revendedora de equipamentos pesados ​​PMG ficava no meio da Amazônia, onde não havia ‘plataforma de crescimento’. “De 2013 a 2019, 600 escavadeiras Hyundai foram vendidas para garimpeiros apenas em Itaituba, uma cidade importante para o garimpo ilegal de ouro”, disse o presidente do BMG, Roberto Katsuda, em audiência pública na Câmara Municipal em 2019. Até julho de 2021, a produção acumulada de escavadeiras na fábrica da Hyundai Construction Equipment no Brasil era de 1.000 unidades.

A Hyundai Construction Equipment decidiu fortalecer seu código de ética, ou seja, ‘não vender equipamentos pesados ​​para zonas de conflito ou grupos terroristas’. Até que essas medidas sejam implementadas, três estados da Amazônia suspenderão a venda de equipamentos pesados ​​de construção vinculados ao uso ilegal. As três reservas tribais que o Greenpeace examinou estão localizadas nesses três estados.

READ  'FÁCIL மறந்து Esqueceu a humilhação de sair na 16ª rodada' ... "Vou para a final da Inglaterra", torcendo novamente

A manutenção e o fornecimento de peças, como reparo de equipamentos, também cessarão. O acordo de revenda com o BMG, que levou à venda de escavadeiras para garimpeiros ilegais que operam na Reserva Nativa da Amazônia, foi decidido em consulta com a BMC Hyundai, distribuidora exclusiva de equipamentos pesados ​​no Brasil.

Equipamentos pesados ​​modernos pegaram fogo durante uma repressão do Ministério do Meio Ambiente do Brasil em um local de mineração ilegal.  Fornecido pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil

Equipamento pesado de última geração pegou fogo pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil para reprimir o garimpo ilegal Fornecido pelo Ministério do Meio Ambiente do Brasil

O Greenpeace relata que em 2020, o Ministério Público Federal (MPF) em Itaiduba, Brasil, abriu uma ‘investigação civil’ após determinar que a mineração ilegal com equipamentos pesados ​​em reservas indígenas estava causando destruição ambiental e danos aos povos indígenas. O MPF acredita que as escavadeiras foram vendidas na Amazônia para atender a demanda do garimpo ilegal e que nenhuma medida foi tomada para controlar as empresas envolvidas. A Hyundai Construction Equipment não respondeu ao pedido de informações do procurador brasileiro durante a audiência.

A Hyundai Construction Equipment disse: “Participaremos o mais fielmente possível para proteger o meio ambiente e os povos indígenas da Amazônia” e “cooperaremos com o governo brasileiro na medida do necessário”. “Como uma empresa que cumpre suas responsabilidades sociais, nos esforçamos para criar uma sociedade sustentável para nossos acionistas, protegendo os direitos humanos e o meio ambiente”, disse ele.

“Acredito que este anúncio será um ponto de inflexão que reduzirá muito a destruição da Amazônia pela mineração ilegal de ouro”, disse Dal Zhang, especialista do Greenpeace. Precisamos estabelecer um sistema institucional e técnico”, afirmou.

READ  Arco eléctrico: Definición, causas e inconvenientes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *