Prisão de até 15 anos por espalhar desinformação sobre o parlamento russo durante a invasão da Ucrânia

Adoção de emendas ao Código Penal … Controle significativamente reforçado da mídia durante as operações militares na Ucrânia

No terceiro dia (horário local), o Parlamento russo adotou uma revisão do Código Penal que permitirá impor sanções penais a quem divulgar informações falsas sobre suas atividades militares ou prejudicar a confiança do exército russo.

Ao mesmo tempo, adotou leis que punem a indução de sanções contra a Rússia.

Segundo a agência de notícias Ryanovosti, o parlamento russo impôs uma pena de prisão de até três anos por divulgar claramente informações falsas sobre as operações do exército russo e até 15 anos de prisão se essas informações falsas tiverem consequências graves. Aprovação do projeto de emenda ao Código Penal.

Os 401 deputados presentes votaram a favor da emenda.

A Câmara dos Representantes também aprovou uma lei que pune com até cinco anos de prisão por ações que prejudiquem a confiança militar russa.

Além disso, ele aprovou uma lei que permite impor uma pena de prisão de até três anos a qualquer pessoa que incite países estrangeiros ou organizações internacionais a impor sanções contra a Rússia ou os russos.

Logo, esses três projetos foram aprovados pelo Senado, que foram aprovados pela Câmara dos Deputados.

A lei entrará em vigor assim que o presidente Vladimir Putin a assinar.

Essa lei, que tornaria muito difícil relatar objetivamente as atividades do exército russo e as críticas ao exército e ao governo russos, foi aprovada em deliberações parlamentares em meio a críticas crescentes não apenas da comunidade internacional, mas também de dentro da Rússia contra a invasão russa de Rússia. Ucrânia.

READ  [국제]O Japão "possui capacidade de contra-ataque", o orçamento de defesa do próximo ano é de 66 trilhões de won... Nordeste da Ásia aumentou as preocupações

Foi analisado que a Rússia promoveu a promulgação de tal lei para lidar efetivamente com a guerra de informação com o Ocidente em caso de conflito armado.

Antes disso, a transmissão de rádio antigovernamental “Eho Moscow” (Eco de Moscou) e o programa de TV “Dozdy” (Rain), um dos poucos meios de comunicação independentes da Rússia, haviam sido fechados no dia anterior devido à pressão dos promotores. e reguladores de mídia.

Anteriormente, os promotores públicos da Rússia criticaram Io Moskibe e Dozdi por publicar de forma deliberada e sistemática em seus sites informações claramente falsas sobre as operações militares especiais do exército russo na Ucrânia e informações pedindo atividades extremistas e violência.

Sabe-se que os promotores se opuseram ao fato de que esses meios de comunicação expressaram as operações militares especiais russas na Ucrânia como uma “invasão” ou “guerra” e relataram baixas entre soldados russos e civis ucranianos.

As autoridades russas exigem que os relatórios sobre as operações militares na Ucrânia transmitam apenas a posição oficial do governo russo.

Se a lei relevante entrar em vigor, espera-se que a comunicação objetiva das operações militares russas na Ucrânia se torne mais difícil.

O acesso ao site da BBC, que fornece relatórios críticos sobre a operação militar ucraniana, foi bloqueado desde esta manhã.

[우크라 침공]    Parlamento russo "Prisão por até 15 anos por divulgar informações falsas sobre os militares russos"

/ boa notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.