Público Internacional: Internacional: Notícias: The Hankyoreh

O presidente chinês Xi Jinping (à esquerda) e o presidente russo, Vladimir Putin, bebem em um jantar após uma reunião de cúpula no Kremlin de Moscou no dia 21. MOSCOU/Reuters Yonhap News

O presidente chinês, Xi Jinping, e o presidente russo, Vladimir Putin, realizaram uma reunião de cúpula no dia 21 e emitiram três declarações conjuntas afirmando uma solução pacífica para a guerra na Ucrânia e fortalecendo fundamentalmente as relações bilaterais e a cooperação econômica. No entanto, embora as declarações sobre as relações sino-russas e a cooperação econômica sejam muito específicas, elas simplesmente reiteraram a posição atual sobre a guerra na Ucrânia. De acordo com relatórios de agências de notícias chinesas e russas, no dia 22, o presidente Xi e o presidente Putin assinaram três declarações conjuntas após realizarem uma cúpula oficial no Kremlin de Moscou (Palácio Presidencial Russo) naquela tarde. O primeiro documento, “Declaração Conjunta sobre o Aprofundamento da Parceria Estratégica Abrangente China-Rússia para uma Nova Era”, contém o conteúdo do aprofundamento das relações bilaterais em áreas gerais como diplomacia, política, sociedade, economia, cultura e ciência. Em particular, isso é enfatizado ao trazer o campo da diplomacia para o primeiro plano. “Vamos promover a multipolaridade mundial, a globalização econômica, a democratização das relações internacionais e promover o desenvolvimento da governança global em uma direção mais racional”, disseram os dois países em comunicado, e “fortalecer a estreita coordenação diplomática e a cooperação multilateral”. “A comunidade internacional está passando por profundos ajustes e a formação de uma estrutura multipolar está se acelerando”, afirmou. Isso pode ser interpretado como opondo-se ao “sistema unipolar” centrado nos EUA e alcançando um “sistema multipolar” no qual a China e a Rússia desempenham um papel importante na formação da ordem mundial. Ele prometeu cooperação de longo prazo com “a Rússia apóia a China em alcançar a modernização ao estilo chinês, e a China apóia a Rússia em alcançar suas metas de desenvolvimento nacional antes de 2030”. A “Declaração Conjunta sobre o Plano para Desenvolver as Principais Direções da Cooperação Econômica China-Rússia até 2030” inclui uma resolução para expandir significativamente o comércio entre os dois países até 2030, △ Expandir a escala do comércio Desenvolver o sistema logístico Melhorar o nível de cooperação financeira Melhorar a cooperação energética Fazer promessas concretas em oito itens, incluindo o fortalecimento da cooperação em recursos e tecnologia. Em particular, os dois países concordaram em “continuar a aumentar a taxa de liquidação em moeda local em trocas comerciais e econômicas, como comércio, investimento e empréstimos”. Foi decidido aumentar o uso do rublo e do yuan diminuindo o pagamento em dólares, um símbolo do domínio americano. Segundo dados do Banco Central da Rússia, a participação dos pagamentos em renminbi nas exportações russas aumentou de 0,4% no início do ano passado para 14% em setembro do ano passado. O presidente Xi e Putin podem manter o poder até 2030, indica a declaração, por meio de emendas à lei e outros meios. Os presidentes dos dois países também emitiram uma “declaração conjunta final enfatizando a solução para a crise ucraniana por meio do diálogo pacífico”. No entanto, foi no sentido de reafirmar e enfatizar as atuais posições dos dois países sobre a guerra na Ucrânia. A questão de saber se a China poderia convencer a Rússia a apresentar um plano de mediação significativo em relação à guerra na Ucrânia foi o assunto da maior preocupação do mundo em conexão com esta cúpula. No final, a China não conseguiu um “avanço decisivo” para desenvolver a situação. A Rússia disse no comunicado que “avalia positivamente a posição objetiva e imparcial da China sobre a questão ucraniana” e “reafirma seu compromisso de retomar as negociações de paz o mais rápido possível”. Ele disse que os dois países se opõem a qualquer país ou grupo de países que prejudique os legítimos interesses de segurança de outros países em busca de interesses militares, políticos ou outros. Ele está efetivamente mirando nos Estados Unidos, e a Rússia e a China afirmam que a guerra foi causada por uma estratégia de segurança errada dos Estados Unidos e da Europa. Pequim / Choi Hyun-jun correspondente haojune@hani.co.kr

READ  Rossi transmitiu o discurso "Lei Marcial de Putin"... Foi uma farsa profunda postada por hackers

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *