Um civil israelense foi morto em um ataque do Hezbollah pró-iraniano… um atentado a bomba perto da embaixada americana

O sentimento antiamericano está em alta no mundo muçulmano

Netanyahu alerta que o sul do Líbano criará a Faixa de Gaza

Entrada para a Zona Verde em Bagdá, Iraque [사진 = 연합뉴스]

A guerra entre Israel e o grupo militante palestino Hamas mostra sinais de expansão nas áreas vizinhas.

Um civil israelense foi morto por um míssil disparado pelo Hezbollah, uma facção armada pró-iraniana no Líbano, e um projétil caiu perto da Embaixada dos EUA no Iraque.

De acordo com a mídia estrangeira como a Reuters no dia 7 (hora local), um porta-voz militar israelense disse que um civil foi morto no norte de Israel devido a um ataque de mísseis dirigido do Líbano naquele dia.

Israel disse que membros do Hezbollah realizaram 11 ataques antitanque, e o alvo do ataque foi um quartel do exército israelense em Matat, uma cidade no norte de Israel, perto da fronteira com o Líbano. O homem israelense morto no ataque com mísseis do Hezbollah seria um agricultor de 60 anos.

O exército israelita mobilizou caças e realizou ataques aéreos de retaliação contra o quartel-general e os centros de controlo do Hezbollah.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse sobre este ataque do Hezbollah: “Se o Hezbollah iniciar uma guerra total contra Israel, o nosso exército pode transformar a capital libanesa, Beirute, e o sul do Líbano, na Faixa de Gaza e em Khan Yunis”.

Ele alertou que Israel poderia lançar uma forte operação militar contra o Hezbollah, tal como destruiu uma grande parte da Faixa de Gaza na Palestina como parte dos seus esforços para eliminar o Hamas. No entanto, a Reuters informou que não ficou imediatamente claro se o primeiro-ministro Netanyahu fez os comentários quando civis israelitas foram mortos.

READ  Putin é paciente com o colapso do rublo ... "Empresas exportadoras, vendendo dólares"

Desde o início desta guerra, em 7 de outubro, o Hezbollah tem estado envolvido em combates com o exército israelita, com ataques esporádicos centrados no norte de Israel. Como resultado do ataque militar israelense, cerca de 110 membros do Hezbollah e civis foram mortos no lado libanês.

No quinto dia, ocorreram baixas entre as fileiras do exército libanês quando o exército israelense atacou posições do Hezbollah. Depois de Israel e o Hamas terem assinado um cessar-fogo temporário no dia 24 do mês passado, os combates cessaram na zona fronteiriça entre Israel e o Líbano.

Mas quando o cessar-fogo entre Israel e o Hamas terminou no dia primeiro deste mês, o Hezbollah retomou os seus ataques contra Israel.

Reuters, Sputnik, etc. também relataram no dia 8 deste mês que uma explosão foi ouvida perto da embaixada americana na “Zona Verde” em Bagdá, capital iraquiana, por volta das quatro da manhã.

A Zona Verde é uma zona de alta segurança onde estão concentradas embaixadas estrangeiras, como edifícios governamentais e embaixadas americanas. Foi dito também que naquele momento uma sirene soou dentro do prédio da embaixada.

A força que afirma estar por trás deste ataque ainda não surgiu. Não foi informado se houve vítimas ou se o sistema de defesa aérea da embaixada foi ativado.

Contudo, dado o recente sentimento antiamericano no Iraque, a possibilidade de que este tenha sido o trabalho de militantes pró-Irão está a ganhar peso. No mundo muçulmano, a raiva contra Israel e outros aumentou depois do Hamas ter anunciado, em 17 de Outubro, que centenas de pessoas tinham sido mortas no bombardeamento israelita de um hospital na Faixa de Gaza.

Em particular, o sentimento antiamericano foi exacerbado quando o presidente dos EUA, Joe Biden, visitou Israel no dia 18 deste mês e mostrou total apoio a Israel.

READ  Preço do Petróleo Teto Sistema Garantia de Qualidade Energia Armamento Contra-ataque da Rússia do Ocidente

Os Estados Unidos já enviaram forças para o Iraque e a Síria sob o pretexto de derrotar o extremista Estado Islâmico, mas esta guerra despertou sentimentos antiamericanos no mundo árabe, que anteriormente se tinha distanciado do Irão e dos seus representantes. E o Hamas também.

Estima-se que tenham ocorrido mais de 70 ataques contra as forças dos EUA estacionadas no Iraque e na Síria desde meados de Outubro deste ano. No entanto, a Reuters informou que não houve casos em que as missões diplomáticas sofreram danos diretos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *