Boeing, Brasil se tornará a meca da SAF… Companhias aéreas brasileiras dizem que passageiros não estão dispostos a pagar por compensações de carbono


A Boeing identificou o Brasil rico em biocombustíveis como um local chave para a produção de SAF.
A Boeing identificou o Brasil rico em biocombustíveis como um local chave para a produção de SAF.


A indústria da aviação global, sedenta de carbono, está trabalhando para atingir zero emissões de carbono até 2050 por meio do uso sustentável de combustível, novas tecnologias e compensações de carbono. No entanto, as reduções de emissões de carbono são principalmente direcionadas para combustíveis que podem ser usados ​​em motores a jato convencionais, como SAFs industriais ou baseados em resíduos e combustíveis alternativos sintéticos.


Garantir o fornecimento adequado de SAF é um grande desafio para a indústria, que busca descarbonizar em meio a altos custos e baixo crescimento da produção. A IATA é um trampolim para os esforços da indústria para alcançar zero emissões de carbono até 2050. 65% de utilização SAFSupondo que você possa


O Brasil é um tesouro de combustíveis de aviação, líder industrial em biocombustíveis, como etanol feito de cana-de-açúcar ou milho e biodiesel derivado de soja.



Boeing, maior compradora da SAF… foca no Brasil


Uma Mesa Redonda sobre Biomateriais Sustentáveis ​​(RSB) já foi realizada em 2021.Balanço de abastecimento, combustível fixo de aviação no Brasil(Feedback disponível para combustíveis de aviação sustentáveis ​​no Brasil).


“A Boeing já é um dos maiores compradores mundiais de combustível de aviação sustentável”, disse Landon Loomis, presidente da Boeing América Latina e Caribe, em um evento da Boeing em São Paulo.


“O Brasil tem capacidade técnica, pessoal qualificado e matéria-prima para entregar os resultados e impactos concretos necessários para enfrentar coletivamente esse desafio global de como descarbonizar a aviação”.



A partir de 2021, a RSB tem como foco o Brasil sob o tema 'Combustível de Aviação Sustentável L)'.
A partir de 2021, a RSB tem como foco o Brasil sob o tema ‘Combustível de Aviação Sustentável L)’.


Em junho passado, a empresa sustentável de combustível para aviação SkyNRG divulgou um relatório intitulado ‘SAF Market Outlook 2023’, 2030 se não houver investimento adicional. Atingir a meta de produção do SAF será difícilestava previsto ser.


Em maio, o presidente-executivo da Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse à Reuters que o setor não seria capaz de cumprir suas metas de emissões devido à falta de oferta de SAF.


A companhia aérea brasileira GOL também disse que considera urgente o fornecimento da SAF. Eduardo Calderon, diretor do Centro de Controle de Operações Aéreas da Cole, disse no Fórum de Sustentabilidade da Boeing e RSP na Câmara Americana de Comércio (AMSAM) no dia 8 (horário local) que o custo do SAF agora é três vezes maior. Os combustíveis fósseis já estão atrasados. Se não iniciarmos o processo SAF em breve, não seremos capazes de atingir esta ambiciosa meta de 2050.”



Companhias aéreas brasileiras dizem que passageiros não estão dispostos a pagar mais para compensar emissões de carbono


Companhia aérea brasileira de ultrabaixo custo Gol diz que disponibilizou sua plataforma de compensação de carbono, mas o uso foi limitado / GOL
Companhia aérea brasileira de ultrabaixo custo Gol diz que disponibilizou sua plataforma de compensação de carbono, mas o uso foi limitado / GOL


Enquanto isso, a maior companhia aérea do Brasil, a Azul, e a transportadora de menor custo, a GOL, disseram na segunda-feira que os testes iniciais mostraram que apenas uma fração de seus passageiros estava participando de programas voluntários de redução de carbono.


Desde junho de 2021, a Qal Airlines oferece voluntariamente o Startup Moss aos passageiros. Serviços que podem compensar sua pegada de carbonoforneceu


Pelos cálculos de Moss, o crédito necessário para compensar as emissões nos voos entre São Paulo e Rio de Janeiro é de R$ 3,00 por passageiro.

READ  Ballet se concentrará na construção de instalações ecológicas de produção de ferro-gusa verde


“A porcentagem de passageiros que não se orgulham de compartilhar, mas optam voluntariamente por compensar, é de 0,01%”, disse Calderon.


Quando a empresa atualizou o sistema para incluir uma plataforma de compensação de carbono em seu site, dando aos passageiros a opção de comprar créditos de carbono na compra de passagens, a conformidade aumentou cerca de 30%, disse ele. No entanto, subiu apenas de 0,01% para 0,013%, explicou a empresa.


Filipe Alvarez, gerente de sustentabilidade da Azul, outra companhia aérea brasileira, que participou como palestrante no Fórum de Sustentabilidade RSB, disse: “Estamos trabalhando em um programa de compensação de carbono há sete meses, mas os resultados do primeiro mês são muito baixos. É o mesmo com a Qal Airlines.”


“Todo mundo quer falar sobre sustentabilidade, mas isso não acontece quando você tem que pagar do próprio bolso”, disse Calderon. Mesmo na Europa, para empresas que oferecem opções de compensação de carbono, esse nível é de apenas 4% ou 5%.

Enviar artigos SNS










Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *