Coluna: Editorial. Coluna: Notícias: Hankior

[통신원 칼럼] Em breve Kim | Diretor, Centro de Estudos Comparativos Coreanos, Universidade Central do Chile
Este ano marca o 60º aniversário das relações diplomáticas da Coréia com 15 países latino-americanos. Começando com o concurso memorial no final do ano passado, vários eventos comemorativos estão sendo realizados este ano, como exposições e feiras do livro. Enquanto isso, a Coréia do Sul e a América Latina aumentaram muito os intercâmbios e a cooperação em termos de cooperação econômica. A Coreia assinou seu primeiro Acordo de Livre Comércio (TLC) com o Chile, que entrou em vigor em 2004, e em março do ano passado, todos os acordos de livre comércio com cinco países da América Central entraram em vigor. A Coreia é o quarto maior parceiro comercial do México (2020). No Brasil, México e Argentina, o Centro Cultural Coreano funciona como um centro de promoção da cultura coreana. As Instituições Educacionais King Sejong estão estabelecidas em 18 localidades em 13 países, incluindo 5 no Brasil e 5 na Bolívia, onde os latino-americanos aprendem a língua coreana. O Programa de Mestrado em Estudos Coreanos funciona em nossa escola desde 2018, e a próxima geração de educadores está crescendo. No entanto, na véspera do 60º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas, estou a pensar nisso. O que é a América Latina para os coreanos? Mesmo antes de entrar na universidade em 1992 e aprender espanhol, era considerado um trabalho porque era um ‘repositório de recursos’ e um ‘continente do futuro’. Segundo pesquisas de especialistas, há muitos relatos na mídia coreana de que a América Latina está recriando imagens negativas ou retrógradas, como pobreza, corrupção, insegurança e abuso de drogas. Nos programas de viagem da televisão, filmes recheados como a civilização inca são frequentemente recriados a partir de uma perspectiva ocidental em vez da realidade. Um comediante fingindo ser mexicano, “Señorida!” (Mulher!) Lembro-me de rir e gritar. Também é conhecida como a Terra da Paixão, uma reminiscência do festival de samba brasileiro. Isso não é diferente de reconhecer a Coreia em 2022 com a Guerra da Coreia, Samsung e K-Pop. Esse tipo de comentário meu me faz olhar para trás para ver se eu tinha. De fato, muitos coreanos se referem à América Latina como “América do Sul”. Do México ao Uruguai, são cerca de 12 horas de avião, que conta como vizinho. Fiquei surpreso ao ver o pacote ‘Totalmente Round América Latina, 18 Noites e 22 Dias em 9 Países’. Não é como cruzar a fronteira em uma ou duas horas de trem como na Europa. As ruínas da civilização maia no pacote turístico estão localizadas no sudeste da península do México, nas terras altas de Machu Picchu no Peru e nas Cataratas do Iguaçu na selva na fronteira entre Argentina e Brasil. Demora pelo menos 5 horas de avião sozinho para chegar a esses lugares, sem qualquer relocação. Apesar do aumento das trocas, o número de imigrantes coreanos na América Latina é estimado em cerca de 100.000. Isso significa que apenas 0,2% da população coreana desfruta disso em suas próprias vidas. Por isso, muitas vezes vejo pessoas vindo para Santiago, capital do Chile, dizendo: “Eu não sabia que eles podiam viver tão bem” ou “Eu não sabia que era tão caro”. Falando da América Latina, essa é uma reação natural aos chamados coreanos subdesenvolvidos. No ano passado, em um programa de comédia chileno, ele causou polêmica sobre racismo e pediu desculpas por seguir o BTS como assunto. No entanto, fiquei surpreso ao ver os comentários nas notícias coreanas. “Você come e compra?” Houve muitas reações sobre o tema “países subdesenvolvidos”. Considerando que este é um comentário irado da internet, a expressão não expressava mais desprezo do que a crítica dos coreanos sobre a América Latina? Na verdade, eu não sabia muito sobre Coréia. Mas, ‘China e Coréia são uma só?’ Com exceção da Europa e da América do Norte, os acadêmicos às vezes associam ‘Ásia e África’, enquanto na Coréia, ‘Oriente Médio, América Central e América do Sul’ às vezes são chamados de ‘outros’, por isso é um sinal teimoso para marcar o 60º aniversário das relações diplomáticas. Este ano, espero que possamos nos tornar amigos íntimos, tanto visualmente quanto amigos.

READ  O guarda-roupa de Miley Cyrus estragou durante o especial de ano novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.