Computadores na Escola: um Brinquedo a mais?

 

Prezado leitor. Peço o título deste artigo emprestado ao Professor Bruno Vitale, no seu trabalho publicado na revista “Ciência Hoje” (Brasil) [1].

O objetivo aqui, como lá, é o de levar o leitor a refletir sobre as possibilidades do uso dos computadores na escola. Sim! Para este autor que aqui escreve, o computador é um BRINQUEDO.

Mas um BRINQUEDO bastante diferente de outros brinquedos (ou tecnologias) utilizados nas nossas escolas, como a televisão, os videocassetes, DVDs  e os quadros inteligentes, para falarmos de alguns mais recentes [2].

A principal característica que diferencia os computadores dos outros brinquedos, é a sua capacidade de responder às ações que realizamos sobre eles.

É essa capacidade de reação automática (ou feedback) dos computadores, que nos permite refletir sobre as atividades que estamos a realizar, para atingirmos os nossos objetivos e desenvolvermos novos conhecimentos [3].

Para além da utilização mais comum dos computadores nas escolas, para a execução de tarefas básicas de escritório, tais como, edição de texto, criação de slides ou pesquisas na internet, devemos atentar para o seu uso como ferramenta para investigar ideias e conceitos.

É através do desenvolvimento da programação, da construção, e da observação do funcionamento de outros equipamentos controlados por computadores, que se permite explorar ao máximo o potencial deste BRINQUEDO nas salas de aula.

 

Fábio Ferrentini Sampaio

 

_____________________________________________________________________

[1]

VITALE, B. “O computador na escola: um brinquedo a mais?”, Ciência Hoje, Rio de Janeiro, v. 13, n. 77, p. 18-25, 1991

[2]

Veja aqui o vídeo de uma história animada sobre o uso de tecnologias no ensino 

[3]