Europa: Global: Notícias: The Hankyoreh

Órgão de supervisão da mídia russa “Discriminação na mídia doméstica”
O Twitter também está restringindo o acesso e o TikTok tem uma carta de protesto.
Putin assina lei com pena de até 15 anos de prisão por motivos de denúncia

Uma imagem composta do logotipo do Facebook sobre o hino nacional russo O governo russo anunciou no dia 4 deste mês que decidiu bloquear o acesso ao Facebook. Reuters Yonhap News

A Rússia, que invadiu a Ucrânia, bloqueou o acesso à rede social Facebook no dia 4 (horário local) dizendo que discriminava sua própria mídia. Depois que a Rússia alterou a lei para estipular uma sentença de prisão de até 15 anos por divulgar informações falsas sobre suas atividades militares, a mídia ocidental, incluindo a britânica (BBC), interrompeu temporariamente as reportagens na Rússia. A Autoridade Russa de Comunicações, Tecnologia da Informação e Mídia (Roskomnadzor) anunciou em comunicado que “a decisão de bloquear o acesso ao Facebook foi emitida no dia 4 deste mês”. “Desde outubro de 2020, o Facebook registrou 26 casos de discriminação contra a mídia russa”, disse Roskomnadzor em comunicado. Segundo a agência de notícias russa, outra conta no site de rede social Twitter, disse que o acesso é restrito na Rússia a pedido das autoridades russas. A Rússia está reclamando nas principais mídias sociais, dizendo que suas alegações sobre a guerra na Ucrânia são descartadas. Roskomnadzor também disse no quarto dia que enviou uma mensagem à plataforma de compartilhamento de vídeos TikTok, explicando por que a Russia News (a agência de notícias estatal) foi excluída. Redes sociais como Facebook, Twitter e TikTok tornaram-se os principais canais para as pessoas de todo o mundo obterem notícias sobre a guerra na Ucrânia, por isso o governo russo está atento às tendências das redes sociais. O presidente russo, Vladimir Putin, assinou um projeto de lei para alterar uma lei que permite penas de prisão de até 15 anos por espalhar “notícias falsas” sobre militares russos, segundo relatos. Anteriormente, o parlamento russo aprovou uma emenda ao Código Penal que impõe uma pena máxima de três anos de prisão por divulgar informações falsas e francas sobre o trabalho dos militares russos, e até 15 anos de prisão se for comprovado que tais informações falsas graves consequências para o Estado. Um projeto de lei estipulando que, se um governo estrangeiro ou organização internacional instasse um governo estrangeiro ou organização internacional a impor sanções ao governo russo ou ao seu povo, a pena máxima de prisão de três anos seria aprovada. O governo russo descreve a invasão da Ucrânia como uma “operação militar especial” e afirma que a retirada das forças russas ou o assassinato de civis são notícias falsas. As emissoras estatais russas, etc., citam principalmente essas alegações do governo. A mídia ocidental, incluindo a britânica (BBC), a American News e a (CNN), anunciaram que suspenderão temporariamente a cobertura e as reportagens na Rússia. “A lei (alterada pela Rússia) parece criminalizar o processo de jornalismo independente”, disse Tim Dave, presidente da empresa. Escrito por Joo Ki-won, repórter da equipe garden@hani.co.kr

READ  [국제]Forças ucranianas contra-atacam de diferentes lugares. Ocupado ajudando refugiados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.