Ex-treinador de ginástica brasileiro condenado a 109 anos de prisão por agressão sexual

Visão ampliada

▲ Foto = Corbelho foi condenado a 109 anos de prisão. (Fonte = Epee)

O julgamento foi adiado, mas o veredicto do tribunal foi duro. Em uma eleição seis anos após o incidente, o ex-treinador nacional de ginástica do Brasil foi condenado a mais de um século de prisão por agressão sexual.

O Tribunal Criminal de São Bernardo do Campo, Brasil, condenou Carbelho Lopez a 109 anos e 8 meses de prisão em uma audiência de sentença no dia 3 (horário local). O tribunal decidiu assim que a infracção deve ser punível para cada infracção, tendo em conta o número de vítimas e a duração da infracção.

Mais de 40 pessoas foram vítimas, mas Carbelho é acusado de agredir sexualmente quatro de suas alunas, incluindo uma que era menor de idade na época do incidente. “Cada vítima deve pagar pelo crime em 25 de fevereiro”, informou a mídia local.

A posição do tribunal foi posteriormente anunciada ao mundo quando a mídia local pegou o veredicto e o noticiou. “A investigação não revelou a verdade”, disse ele, antecipando um recurso.

Após mais de 20 anos de liderança, Carpelho se envolveu em um escândalo em 2016. Alegações de agressão sexual foram levantadas em um programa de TV. No programa, 42 ginastas que treinaram ou foram treinadas por Corbelho admitiram ter sido agredidas sexualmente.

Os militares alegaram ter sido “assaltados moral, física e sexualmente por Carpelho”.

Carbelho, que atuou como presidente do clube São Bernardo do Campo MESC, treinou a seleção masculina de ginástica do Brasil nas Olimpíadas do Rio 2016.

O medalhista de bronze olímpico do Rio Diego Ippolito, discípulo de Carpello, inicialmente apoiou o treinador, dizendo: “Nunca fui agredido sexualmente por um treinador. Agressão sexual pelo diretor.

READ  'Este grão' ajuda mais do que pílulas para dormir quando você não consegue dormir

A Federação Brasileira de Ginástica demitiu Carbelho como técnico da seleção um mês antes do início das Olimpíadas.

De acordo com os depoimentos das vítimas, os crimes sexuais de Garbello continuaram por 18 anos, de 1999 a 2016. O que começou como contato físico inadequado tornou-se cada vez mais ousado com treino e prática.

Uma vítima, que não quis ser identificada, disse: “Em retrospecto, havia muitas coisas que não eram éticas”.

No início de 2019, o Supremo Tribunal do Esporte (STJD) condenou Carvalho à prisão perpétua. Carvalho não foi autorizado a se envolver em atividades relacionadas à ginástica pelo resto de sua vida. Na verdade, ele foi banido do mundo dos esportes para sempre.

Na época, Carvalho reclamou da injustiça, dizendo: “Fui enganado por uma mentira e o juiz tomou a decisão errada”. Ele era inocente, alegando que todos os seus discípulos eram perjuros.

Foto: Carbelho foi condenado a 109 anos de prisão. (Fonte = Epee)

Lim Seok-hoon, Correspondente da América do Sul juanlimmx@naver.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.