Os 50 bilhões de bombardeiros humilhantes da Rússia desmantelados… a peça é um chaveiro comemorativo.

Captura do Facebook do Comando da Força Aérea Ucraniana

Os restos de um bombardeiro russo Su-34 foram encontrados na região de Riman, em Donetsk, leste da Ucrânia.

O Comando da Força Aérea Ucraniana anunciou no segundo (horário local) que havia encontrado partes do Sukhoi-34 em Lyman, uma cidade estratégica na parte leste do país.

De acordo com a mídia local ucraniana, o número da cauda “09” está escrito em vermelho no lote. Segundo a mídia local, estima-se que o caça-bombardeiro pertencia ao 2º Regimento de Aviação Mista da 21ª Divisão de Aviação, porém não se sabe quando, onde e como o bombardeiro foi abatido.

Captura do Facebook do Comando da Força Aérea Ucraniana

O Sukhoi-34, principal bombardeiro de combate do exército russo, foi desenvolvido na década de 1990 para combater o F-15E Strike Eagle dos EUA e pode transportar até 8 toneladas de armas, como mísseis antiaéreos e bombas guiadas a laser. Sabe-se que o preço de cada unidade chega a US$ 36 milhões (cerca de 51,8 bilhões de won), e os militares russos têm cerca de 120 unidades em março.

Embora o Sukhoi-34 seja considerado o principal avião do exército russo, é humilhado todos os dias na guerra da Ucrânia. Em março, ele foi abatido por um rifle de velho e, em julho, uma unidade de defesa aérea russa derrubou um caça-bombardeiro sobrevoando Luhansk Oblast, que se acredita ser um avião militar ucraniano.

A mídia ucraniana afirma que pelo menos 17 Su-34 foram abatidos na guerra. Um grupo de voluntários na Ucrânia está fazendo chaveiros com fragmentos de caças russos que foram abatidos nas batalhas do país, incluindo o Sukhoi-34.

Prisão do site “Dronesforukraine”

Eles estão pedindo doações para comprar bens para o exército ucraniano e entregam este chaveiro a doadores que doam mais de US$ 1.000. Aqueles que implementaram o projeto em abril entregaram 51 câmeras térmicas e mais de 20 drones ao exército ucraniano até agora.

READ  Desacordo entre Rússia, Finlândia e Suécia sobre adesão à OTAN 'não ajuda a estabilidade na Europa'

Enquanto isso, o exército ucraniano conseguiu recentemente retomar a região de Lyman, que era usada pela Rússia como principal base logística na região de Donbass.

“Entramos com sucesso na cidade de Lyman e cercamos as forças russas”, disse Serhiy Chervati, porta-voz do Exército Oriental da Ucrânia. O Ministério da Defesa russo também reconheceu a retirada, dizendo que retirou suas forças da região de Lyman “para responder de forma mais eficaz às forças ucranianas”.

Repórter Dugaon Donga.com gggah@donga.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.