Que “reator de plasma” pode produzir oxigênio eficientemente em Marte?

ⓒ Postagem diária = Cortesia da imagem/Pixabay

ㅣ Daily Post = Repórter Kim Jeong Eun ㅣ Atualmente, a sonda “Perseverance” da NASA pousou em Marte e está conduzindo uma investigação.

Um dos rovers tecnologicamente mais avançados, a maior missão da perseverança é buscar sinais de vida em Marte. Como exemplo de delta onde as águas fluviam há 3,5 bilhões de anos, a cratera é onde seriam esperados vestígios de microrganismos, como moléculas orgânicas.

Além disso, a perseverança também é responsável por uma investigação em larga escala sobre o futuro da habitação humana em Marte. A Perseverance já realizou experimentos bem-sucedidos para extrair oxigênio do dióxido de carbono da atmosfera marciana, que pode ser usado como astronauta respirando ou como combustível para foguetes. “A perseverança abrirá o caminho para a futura habitação humana em Marte”, disse Mike Wiggins, diretor do Jet Propulsion Laboratory da NASA.

Especificamente, o Experimento de Utilização de Recursos de Oxigênio de Marte (MOXIE), um dispositivo gerador de oxigênio instalado em Passavier, foi operado com sucesso em Marte no ano passado e gerou oxigênio com sucesso na atmosfera marciana. O MOXIE é um dispositivo que gera oxigênio pela decomposição do dióxido de carbono, que representa 95% da atmosfera de Marte, em monóxido de carbono e íons de oxigênio por meio de um processo eletroquímico. Na época da corrida de Marte, ele conseguiu gerar 5,37 gramas de oxigênio por hora, que é a quantidade que um astronauta poderia respirar por cerca de 10 minutos.

MOXIE ⓒPost Diário = Imagem cortesia/NASA

Em meio a isso, uma equipe de pesquisa liderada pelo Dr. Vasco Guerra da Universidade de Lisboa em Portugal disse: “Em um experimento que reproduziu o ambiente marciano, um ‘reator de plasma’, um dispositivo que converte gás em plasma, é mais do que eficiente do que um gerador montado em trânsito.” Produção de oxigênio com

READ  Preço acessível e conveniência de conexão, headset para jogos sem fio Xenix TITAN WH6

Os resultados da pesquisa foram publicados no Journal of Applied Physics, uma revista acadêmica internacional no campo da física aplicada.

ⓒ Postagem diária = Cortesia de imagem/Journal of Applied Physics

O dispositivo desenvolvido pela equipe de pesquisa acelera o feixe de elétrons a uma velocidade apropriada e converte dióxido de carbono em plasma para gerar oxigênio. O MOXIE teve que comprimir e aquecer o ar marciano para produzir oxigênio, mas os reatores de plasma não.

Em experimentos de laboratório, a equipe conseguiu converter 30% do ar em oxigênio, o que reproduz a pressão e a composição marcianas. A eficiência supera o MOXIE em cerca de 14 gramas por hora, o que é suficiente para respirar por cerca de 28 minutos.

No entanto, existem vários problemas que devem ser resolvidos antes que ele possa realmente funcionar na superfície de Marte. O dispositivo requer uma fonte de energia portátil e um local para armazenar o oxigênio que produz, que pode ser tão grande quanto o MOXIE ou maior.

“Se a NASA subsidiasse o MOXIE com o mesmo custo, um dia não só ajudaria os astronautas a respirar em Marte, mas também economizaria combustível. Também poderia ser usado como forma de fazer fertilizante”, disse Michael Hecht, professor do MIT, que não esteve envolvido no estudo. , acrescentando: “É uma forma muito mais imatura de MOXIE, mas não há problema com a tecnologia de plasma”.

Copyright © Global News Media Channel Daily Post Reprodução não autorizada e redistribuição proibida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.