Mário Machado explica a ex-militantes, como se inscreverem no CHEGA

Mário Machado, publicou no seu canal de Youtube um vídeo, no qual o fundo apresenta uma imagem de António Oliveira Salazar de grandes dimensões, abordando as polémicas surgidas na comunicação social por uma potencial relação com o partido Chega.

Neste vídeo, o líder de extrema-direita, apresenta uma critica à posição tomada por André Ventura , sem que o indique alguma vez directamente. André Ventura em declarações à comunicação social afirmou que não aceitaria ter dirigentes do Chega com ligações a partidos extremistas e que iria ser criada “uma nova ficha de inscrição” de militantes para pedir informações sobre a ideologia e as ligações anteriores a outros partidos e movimentos.

Desta forma, Mário Machado, apresenta o modo como os pretendentes a militantes devem efectuar a sua inscrição.

“O conselho que eu dou aos meus queridos amigos que me acompanharam durante estes  quase 25 anos de luta nacionalista é que primeiro, se se quiserem se inscrever nesse partido político, o CHEGA, nunca, em caso algum, digam que pertenceram a algum movimento nacionalista ou de extrema-direita. Não têm que o fazer, pelo menos naqueles em que eu liderei não existe prova alguma que vocês façam parte ou tenham feito parte das minhas organizações E não existe prova porquê? Porque só eu, só eu e apenas eu posso provar que o indivíduo A ou B pertenceu à minha organização e eu nunca o vou fazer. Como nunca o vou fazer, só vocês próprios é que podem pôr a corda ao pescoço, se vocês quiserem.”

“Seja no partido Chega, seja à procura de um trabalho, de um emprego, se vos perguntarem anteriores filiações político-partidárias, ou movimentos ditos extremistas, o que vocês têm de dizer é que nunca pertenceram. E podem pensar assim, “Bom, mas eu apareci em algumas fotografias com o Mário, em alguns vídeos etc,”, isso não prova nada, podem ter ido a um evento ou outro, por curiosidade.”

Uma pessoa, por ter tido algum tipo de envolvimento ou filiação na extrema-direita, nacionalista, nacional-socialista ou fascista, não TEM DAÍ os seus direitos civis diminuídos, é inconstitucional

“Eu não fico de forma nenhuma chateado nem melindrado, compreendo perfeitamente, e têm toda a minha solidariedade. Eu não posso é deixar que qualquer partido ou qualquer organização limite os direitos cívicos dos meus anteriores camaradas, dizendo porque, como tiveram nalguma fase da sua vida uma ligação comigo, que eu sou uma espécie de coronavírus e que agora já não podem estar em mais lado nenhum. Não aceito isso!”

“Eu não aceito isso porque é anti-ético e porque o partido comunista português, recebe todos os anos, na festa terrorista que chamam Avante, organizações que são consideradas, quer pela Europa quer pelos Estados Unidos como organizações terroristas, como por exemplo as FARC, para quem não sabe é uma organização responsável por um terço da produção de cocaína a nível mundial, e as FARC tem inclusive uma banca na festa do Avante. Portanto os comunistas recebem narco-terroristas, tem membros das FP25 de Abril filiados nos seus partidos e concorrem a eleições, o mesmo acontece com o Bloco de Esquerda.”

Mário Machado, apesar de se afirmar como não militante do Chega, a partir de determinado momento demonstra a sua “simpatia” para com o partido de André Ventura. “O Chega não é um partido nacionalista, eles próprios até já retiraram a palavra nacionalista do seu programa, é um partido de direita…” , “…talvez o único partido de direita dos últimos 40 anos, e que tem feito mossa, tem. É o partido pelo qual nutro mais simpatia, quanto mais não fosse porque toda a minha família e todos os meus amigos vão votar no Chega.”

“O conselho que eu dou aos nacionalistas que estão no partido Chega, e que são muitos, é que respeitem as ordens e as directivas do seu presidente (neste caso, André Ventura). Não queiram transformar a organização em algo que ela não é e sigam em frente, façam um óptimo trabalho, sei que são pessoas extremamente competentes e extremamente capazes.”

No dia seguinte à publicação deste vídeo, Mário Machado publica um novo vídeo reiterando a mesma liberdade de associação de militância ao Iniciativa Liberal.