AGIF lança recomendações para a prevenção e mitigação da COVID-19

 

A Agência para a Gestão integrada de Fogos Rurais (AGIF) acaba de divulgar recomendações para as entidades do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (SGIFR), para a prevenção e mitigação do impacto da COCID-19 nas atividades de prevenção, vigilância, supressão e pós-fogo.

O documento agora difundido por todas as entidades do SGIFR tem como fonte recomendações da Direcção-Geral de Saúde (DGS), American Heart Association (AHA), Centers for Disease Control and Prevention (CDC), National Wildfire Coordinating Group (NWCG), Organização Mundial de Saúde (OMS), U.S. Fire Administration (USFA – FEMA) e recolheu contributos junto da ANEPC, GNR, ICNF e FFAA.

Segundo Tiago Oliveira, presidente da AGIF, “com estas recomendações a AGIF partilha, entre todas as entidades que participam na prevenção e supressão, boas práticas que reduzem a exposição à COVID 19 e minimizam impactos na operação”.

No contexto da atual pandemia COVID-19, as entidades responsáveis pela prevenção e supressão de incêndios rurais devem acautelar a segurança dos seus operacionais, não constituir veículo de disseminação e minimizar os impactos do Covid-19 na sua missão e objetivos.

As recomendações lançadas agora pela AGIF junto de todas as entidades do SGIFR contribuem para que, de forma transversal, se adotem princípios e regras comuns para preparar uma resposta estratégica adequada ao ajuste operacional, à melhor gestão das equipas e à partilha de linhas orientadoras que minimizem o impacto operacional.

Reduzir o risco de transmissão de vírus e mitigar impactos

Em resumo, o documento contribui com recomendações de prevenção pessoal e organizacional, enquanto ferramenta de um processo de prevenção e mitigação dos impactos da COVID-19 nas actividades de prevenção e supressão de incêndios.

Exemplo disso são a criação de protocolos de acionamento e integração de meios que permitam a redução de transmissão comunitária do vírus entre equipas operacionais de diversos pontos do país e a mobilização de grupos de apoio sanitário da FFAA e GNR e entidades privadas, com capacidade técnica para desinfeção em larga escala no teatro de operações.

Estas recomendações fazem parte de um programa de mitigação dos efeitos da COVID-19 no sistema de proteção das pessoas e da floresta contra incêndios rurais, que está a ser construído entre todas as entidades públicas que coordenam operacionalmente as atividades de prevenção, vigilância e supressão.