Sucesso em neutralizar a pressão dos EUA por meio da diplomacia da cúpula da sala de aula chinesa


Confusão nos EUA, mas pressão deve continuar


O presidente chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong. Uma cúpula foi realizada em Pequim no dia 31 do mês passado e uma declaração conjunta foi emitida para fortalecer a cooperação entre os dois países./ Cortesia: Xinhua News Agency.

A China está tomando decisões como se quisesse neutralizar a pressão da nova Guerra Fria sobre a China, e os EUA estão firmemente seguindo o exemplo com seu recente sucesso na diplomacia de sala de aula. Além disso, esta tendência é projetada para continuar no futuro também. Parece que a situação é difícil para os EUA, que estão tentando controlar a China em rápido crescimento visando o G1.

O verdadeiro motivo pode ser entendido se você olhar para os rostos dos chefes de estado que se encontraram com o secretário-geral e o presidente Xi Jinping no dia 31 do mês passado. Segundo informações, os círculos diplomáticos em Pequim realizaram uma cúpula após a outra no dia 2 do mês passado com os primeiros-ministros da Espanha, Cingapura e Malásia que foram à China para participar da conferência BOVO de três dias a partir do dia 28 do mês passado. . É natural que o presidente Xi tenha feito uma declaração contundente sobre a manutenção da autonomia estratégica de cada país e a resistência à dissociação, necessária para responder à pressão dos Estados Unidos.

Não parou por aí. Um acordo excepcionalmente longo foi alcançado na cúpula entre o presidente Xi e o primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong, apelidado de “Declaração Conjunta sobre o Estabelecimento de uma Parceria de Alta Qualidade e Prospectiva em Todas as Direções”. Para a China, não poderia ter sido melhor. Isso deve ser ainda mais verdadeiro quando lembramos que o primeiro-ministro Lee deu sua bênção ao presidente Xi depois que a declaração conjunta anunciou que “a China hoje é diferente da do passado”.

READ  Artistas coreanos em São Paulo se unem para o '60º Aniversário dos Imigrantes Coreanos no Brasil'.

Uma cúpula diplomática semelhante está programada para o dia 6. A presidente da Comissão Europeia, Ursula van der Leyen, e o presidente francês, Emmanuel Macron, que visitarão a China, terão uma reunião trilateral com o presidente Xi. Do ponto de vista da China, o encontro do presidente Xi com os dois líderes, superando as tentações dos EUA, é uma grande conquista em si.

Não apenas isso. O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula Dasua, que adiou sua agenda original devido a uma pneumonia, deve visitar a China por quatro dias a partir do dia 11 para se encontrar com o presidente Xi.

Pela programação atual, o presidente Lula liderará uma delegação empresarial de 240 pessoas a Pequim e Xangai. Nesse período, os dois países devem assinar mais de 20 acordos, incluindo planos para fortalecer o abastecimento dos principais produtos de exportação do Brasil, como soja e minério de ferro. Para tanto, antes da visita do presidente Lula à China, a China retomou as importações de carne bovina brasileira que haviam sido suspensas devido ao diagnóstico da doença da vaca louca. Neste momento, gostaria de dizer que a China está determinada e os EUA estão orgulhosos da chamada ‘ofensiva diplomática da primavera’.

Para os EUA, isso é muito embaraçoso. No entanto, eles continuam a dar sinais de continuar suas atividades anti-China sem demonstrar desconforto. Primeiro, eles estão determinados a realizar a reunião originalmente agendada entre a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, e o presidente da Câmara, Kevin McCarthy, no dia 5. Um exercício militar de uma milha também deve ser conduzido conforme planejado. Diz-se que isso frustra a ofensiva diplomática da China. Um tenso cabo de guerra entre os EUA e a China parece inevitável.

READ  'Kim Jin-soo caiu na frente de Pento', lesão na coxa antes de partida no Brasil: Nate News



ⓒAsia Today, reprodução e redistribuição não autorizada proibida















Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *