Tecnologia K avança como solução para gases de efeito estufa na pecuária no Brasil

Metech é a primeira startup nacional a assinar contrato de exportação de cápsulas de metano com o governo brasileiro

A Metech assinou um acordo conjunto de pesquisa e um acordo de exportação para o primeiro lote de cápsulas de metano com a agência governamental brasileira Embraba e a Tendencia Agronegios, a principal empresa de pesquisa do país.

Após quase um ano de validação da tecnologia, o governo brasileiro escolheu uma startup coreana para resolver o problema dos gases de efeito estufa causados ​​pela pecuária.

A Metech Holdings (doravante Metech) é uma cápsula de metano desenvolvida pela empresa governamental brasileira Embrapa (Cooperativa Agrícola Brasileira) e pela principal empresa de pesquisa da Embrapa, Tendencia Agronegocios, e a Metech tem um problema de gases de efeito estufa e um contrato de exportação (POC, para testes reais) para o primeiro lote de cápsulas de metano.

O contrato assinado desta vez é para a exportação de cápsulas de metano para 1.000 cabeças de gado brasileiro. O valor do contrato de exportação é de US$ 330 mil (KRW 450 milhões) e a meta é contratar cerca de 300 mil bovinos brasileiros (US$ 90 milhões) no próximo ano após o primeiro POC. Decidimos estabelecer em conjunto a certificação de baixo carbono e a gestão do histórico pecuário através de cápsulas de metano com a Tentencia Agronegios.

O governo brasileiro está trabalhando muito para garantir que a carne bovina de baixo carbono do Brasil seja avaliada globalmente. O problema é que as vacas produzem gás metano, um importante gás de efeito estufa. De acordo com um relatório da ONU, o gás metano emitido pela pecuária é responsável por 25% dos gases de efeito estufa que causam o aquecimento global e tem um impacto maior do que as emissões de todos os modos de transporte, incluindo os automóveis (13,5%). É conhecido por ser 20 vezes mais potente que os gases de efeito estufa e tem uma capacidade de retenção de calor 80 vezes maior.

READ  [CFS] Brasil e Vietnã tentando cruzar a Grande Muralha da China, China tentando defender o trono... Smiler

Medek conseguiu desenvolver um dispositivo chamado cápsula de metano que mede o gás metano e o dióxido de carbono produzidos no estômago da vaca. Além disso, conseguimos desenvolver uma cápsula de redução de metano que pode reduzir as emissões em mais de 60% através da alimentação das vacas, reduzindo o gás metano produzido no estômago da vaca, e também fornecer os dados necessários para a certificação de baixo carbono.

Segundo a Metech, quando uma cápsula de redução de metano é administrada por via oral a uma vaca, ela se instala no rúmen (Top 1) e reduz automaticamente a concentração de metano da vaca. Através da Internet das Coisas, as informações sobre a redução do metano também podem ser obtidas em tempo real. As informações desta forma identificadas podem ser enviadas para um servidor em nuvem em tempo real e utilizadas em diversos campos.

Chan-mok Park, CEO da Metech, enfatizou: “Acredito que sou o primeiro na Coreia a assinar um acordo de projeto de pesquisa com a Embraba no âmbito do ministério brasileiro, assinando um acordo com o Brasil, um grande país pecuário com 300 milhões de cabeças de gado. A agricultura e a silvicultura são o triunfo da nossa tecnologia. Ele continuou: “Também estamos desenvolvendo ativamente uma plataforma ‘2024 Net Zero’ em colaboração com a JBS, a maior empresa de processamento de carne do mundo, com uma meta de mais de 1 milhão de bovinos por ano disponíveis nos EUA, Austrália e Nova Zelândia.” ele adicionou.

A meta da Metech para o próximo ano é obter a certificação de baixo carbono para 1 milhão de bovinos. O CEO Park Chan-mok expressou sua ambição: “Quero me tornar um líder global liderando a padronização de mercados internacionais de baixo carbono com tecnologia de cápsulas de metano”.

READ  Preços internacionais de grãos devem se estabilizar no segundo semestre

Copyright © Health Kyunghyang Reprodução e redistribuição proibidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *