Um carro produzido em massa com capacidade de 1063 cavalos de potência. O Mercedes-AMG 1 mais rápido do mundo apareceu

Equipado com o motor F1 Racing 1.6L Turbo

A Mercedes-AMG anunciou recentemente que seu supercarro de duas portas, o Mercedes-AMG ONE, estabeleceu um novo recorde na pista norte de Nürburgring, na Alemanha, tornando-se o carro de produção mais rápido do mundo. O tempo de ciclo medido é de 6 minutos 35 183 segundos.


■ O tempo de volta do Porsche 911 GT2 RS foi reduzido em mais de 3 segundos

O tempo de volta medido desta vez é mais de 3 segundos mais curto do que os 6 min 38 84 seg medidos pelo Porsche 911 GT2 RS 2021 (Mantai Performance Kit equipado como opção original). Medido pelo piloto de fábrica da Mercedes AMG e embaixador da marca, Marlowe Engel.

Engel escolheu o modo “Race Plus”. Neste modo, a aerodinâmica ativa funciona ao máximo. O chassi também é mais compacto e a altura ao solo foi reduzida em 37 mm no eixo dianteiro e 30 mm no eixo traseiro. Quatro motores elétricos PHEV adicionaram aceleração.


■ Mostra 1063 cavalos de potência com 4 motores no 1,6 litro V6 turboalimentado

Quanto ao motor, o motor turbo a gasolina V6 de 1,6 litro usado nos carros de Fórmula 1 foi instalado no meio do navio. Tem altas rotações de até 11.000 rpm, o que é difícil de ver ultimamente, com design exclusivo de pistões, virabrequins e sistemas elétricos. A potência máxima é de 574 bhp/9000 rpm. O motor 1.6 V6 turbo a gasolina é um híbrido plug-in (PHEV) que combina um total de quatro motores, dois na frente (163 cv x dois) e um turboalimentado e outro (122 cv e 163 cv). Ajuda na potência do motor ao acelerar. Incluindo o sistema PHEV, produz 1.063 cavalos de potência.

O turbo elétrico é responsável pelo funcionamento do gerador. A energia elétrica é gerada a partir da energia dos gases de escape, que é armazenada em uma bateria de íon-lítio, ou é fornecida à MGU-K (unidade motor-geradora cinética), um componente da unidade de potência. A saída do MGU-K é acoplada a um virabrequim que fornece potência de 120 kW. É uma das tecnologias para a máxima eficiência e desempenho nas corridas.

As células da bateria, layout e sistema de refrigeração usam a mesma tecnologia da máquina Mercedes AMG Petronas F1. Uma bateria de íons de lítio e um conversor DC/DC de 12 volts para o sistema elétrico do veículo são montados no piso traseiro do eixo dianteiro. O sistema híbrido plug-in (PHEV) de alta tensão “EQ Power +” funciona com 800 volts em vez dos 400 volts normais. Devido ao maior nível de tensão, a espessura do cabo pode ser reduzida, reduzindo assim o espaço e o peso.


■ Aceleração de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos, velocidade máxima de 352 km/h

A bateria é alimentada por uma bateria híbrida de alto desempenho desenvolvida pela Mercedes-AMG. É uma bateria de íon-lítio desenvolvida com a expertise técnica da Mercedes AMG Petronas F1 Team. Esta bateria de alto desempenho é capaz de consumir energia de forma consistente. Aqui, ele é projetado para ser uma estrutura leve. Sua alta densidade de energia permite extrair toda a potência em um instante, mesmo em colinas com grandes diferenças de elevação. A bateria de alto desempenho tem uma capacidade de 8,4 kWh. Carregado usando um carregador CA de 3,7 kW de uma estação de carregamento ou tomada doméstica. Só pode percorrer 18,1 km no modo EV.

A transmissão é manual automática de 7 marchas, e o modo de tração é integral, incluindo as rodas traseiras com sistema híbrido e as rodas dianteiras com vetorização de torque. O Mercedes-AMG One acelera dos 0 aos 100 km/h em 2,9 segundos, dos 0 aos 200 km/h em 7 segundos, dos 0 aos 300 km/h em 15,6 segundos e atinge uma velocidade máxima de 352 km/h (especificada operação).

Cho Hee-jeong Editor hj.cho@carguy.kr

Copyright © Kagai É proibida a reprodução e redistribuição não autorizada

READ  Resmed anuncia os resultados da Pesquisa Global de Saúde do Sono

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.