Um festival de cinema coreano é inaugurado em São Paulo, Brasil, para comemorar o 60º aniversário da imigração coreana… exibindo 30 filmes, incluindo longas e curtas.


Foto = apresentada por Today.com.

Foto = apresentada por Today.com.


De acordo com a mídia local brasileira Today.com, o 12º Festival de Cinema Coreano, que destaca a vida dos imigrantes, foi realizado no dia 25 no Museu Estadual da Imigração, no bairro da Moca, em São Paulo, sob o tema ‘Histórias de Imigrantes’. Brasil, que começou em comemoração aos 60 anos da imigração coreana para o Brasil


O festival de cinema foi organizado pelo Centro Cultural Coreano no Brasil (Diretor Kim Seol-Hong, doravante denominado Centro Cultural) em conjunto com o ‘Festival de Cinema da Diáspora’ de Incheon.


Este festival de cinema, que decorrerá até ao dia 6 do próximo mês, decorrerá não só no Museu do Governo, mas também no Museu da Imagem e do Som e no Cinema Petra Velas Archiz.


Um total de 30 filmes, incluindo 10 longas-metragens e 20 curtas-metragens, serão lançados no festival de cinema. Inclui o passado, a cooperação e o futuro dos imigrantes coreanos estrangeiros e dos imigrantes estrangeiros que vivem na Coreia.


A função inaugural do festival de cinema teve lugar no Museu da Imigração do Governo, no sábado, dia 25, às 14 horas.


Estreando neste dia, o filme acompanha a vida de Geronimo (nome coreano Yoon-Jo Lim), um imigrante coreano em Cuba. <ஜெரோனிமோ> (dirigido por Jeon Jeong-seok) foi selecionado e exibido, e apresentado pela segunda geração do cineasta brasileiro-coreano Lira Kim (Lira Kim), o festival de cinema também contou com uma sessão especial de conversa com o diretor Jeon Jeong-seok, que visitou São Paulo. Paulo dos Estados Unidos.


Na entrada da sala de exibição, o Prof. Lim Yun-jeong, do Departamento de Língua e Literatura Coreana da Universidade de São Paulo, participou da tradução e um espaço expositivo foi decorado para comemorar a primeira tradução dos poemas de Yun Dong-ju. Uma coleção de poemas de Yun Dong-ju <நைட் கவுண்டிங் ஸ்டார்ஸ்>com lançamento previsto para dezembro deste ano, está chamando a atenção dos participantes.


No dia da inauguração, os participantes foram servidos com pratos coreanos como balgoki, pãezinhos e macarrão frio que confortaram a vida dos imigrantes coreanos no Brasil.


Vários eventos paralelos serão realizados no Centro Cultural Brasileiro durante os 12 dias de exibição deste festival de cinema coreano.


Na quinta-feira, 30 de novembro, diversas comunidades de imigrantes estrangeiros no Brasil serão convidadas ao Centro Cultural para uma exibição especial.


O diretor Shin Hae-seop, que viajou da Suíça a São Paulo para este festival de cinema E Serão exibidos curtas-metragens e realizada uma conversa com o diretor.


Em seguida, haverá um breve chá e um bate-papo entre imigrantes coreanos e descendentes de diversas diásporas estrangeiras no Brasil, incluindo Itália, Japão, Alemanha e Líbano.


Entre os filmes exibidos no festival de cinema (com estreia prevista para 29/11, 12/01), é o longa de estreia na direção de Paula Kim, uma coreana de segunda geração radicada no Brasil, e < பிரேசில் இமிக்ரேஷன்> Diretor Kyu-seok Lee, obra comemorativa dos 60 anos da imigração coreana no Brasil. Diário>(30/11, bônus agendado para 12/02) também oferecerá tempo adicional de bate-papo com o diretor após a exibição do filme.


Mesmo após o término do período do festival de cinema, os filmes exibidos neste festival de cinema serão itinerados por pelo menos 10 cidades (01/12 a 31/01) durante cerca de um mês em cooperação com museus de vídeo e som nas principais cidades de São Paulo. Pretendemos continuar a exibição (de 21/01 a 31/01) para ter a oportunidade de ver filmes coreanos em qualquer lugar do Brasil, ao mesmo tempo que será transmitido online através do SESC DIGITAL.


O SESC DIGITAL é uma plataforma de vídeos online operada pelo SESC, instituição cultural vinculada à Câmara de Comércio de São Paulo.


Vale ressaltar que vários artistas coreanos de segunda geração participaram deste festival de cinema.


O pôster oficial do festival de cinema foi criado usando o trabalho de Ingrid Cha Lee, que trabalha como @inglee, e da diretora de cinema coreana da próxima geração Bia Hong (@biahong) para seu filme Exibiu e produziu o vídeo do trailer de , e criação da própria Lira Kim Participou do evento como apresentador da exibição e conversa com o diretor.


Kim Seol-Hong, diretor do centro cultural, disse: “Espero que este festival de cinema coreano, realizado para comemorar o 60º aniversário da imigração coreana no Brasil, ganhe a simpatia especial do Brasil, que tem uma história diversificada. Cultura Imigrante”.


Entretanto, o Cônsul Geral Hwang In-sang, que participou na cerimónia de abertura do festival de cinema, filmou a vida dos imigrantes cubanos. Ele compartilhou uma foto tirada no local com o diretor Chun Hu-seok através de seu Facebook pessoal. conta e disse: “(Festival de Cinema Coreano) Brasil “Acredito que será uma grande inspiração para a próxima geração de coreano-americanos”, escreveu ele.


Correspondente Choi Gyu-hyeon kh.choi@nvp.co.kr

READ  As ações do Brasil realmente caíram depois que Lula assumiu o cargo. "Vou adotar uma política fracassada"

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *