[나우뉴스] Três parlamentares transgêneros do Brasil nascidos ao mesmo tempo… os primeiros na história eleitoral

▲ Foto = Da esquerda, eleito Hilton, eleito Salabert e eleito Howie-Anse.

Os três primeiros parlamentares federais transgêneros nasceram no Brasil na mesma época. A mídia local informou que Erika Hilton, candidata da Hoviones (Partido Liberal Socialista) e Duda Salavard (Partido Democrático dos Trabalhadores) foram eleitas para a Câmara dos Deputados nas eleições gerais do Brasil, que coincidiram com a eleição presidencial no dia 2 (horário local). .

Esta é a primeira vez na história eleitoral do Brasil que uma pessoa transexual entra na Câmara dos Deputados. Os três transgêneros eleitos são jovens políticos na faixa dos 20 e 40 anos. O eleito Hilton ganhou a arena política brasileira este ano, quatro anos depois de entrar na política aos 26 anos. Anteriormente, ele votou nas eleições municipais de São Paulo em 2020 e foi eleito com 50.508 votos, o maior da história. Na eleição geral realizada no dia 2 do ano passado, ele conquistou 257 mil votos e entrou na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos.

Hoviones, um político de 33 anos, foi eleito para a Câmara dos Deputados em Pernambuco, nordeste do Brasil. Como atual procuradora-geral, ela foi eleita com promessas como políticas sociais para pessoas LGBT e mães solteiras e pagamentos básicos universais.

Este ano, Salavert, 41, é apenas o segundo professor a competir e ganhar o Bundestag. Concorreu ao Senado em 2018, mas entrou na política institucional em 2020, concorrendo à Assembleia Provincial de Belo Horizonte, sendo o mais votado.

Ele também enfrentou ameaças após disputar a Câmara dos Deputados nas eleições gerais. A oposição de alguns a ser um candidato transgênero também foi um fator. No dia da votação, ele vestiu um colete à prova de balas e foi até a urna para dar seu precioso voto.

READ  [월드컵] Argentina Choque Derrota... Rival Torcedor Brasileiro 'Smiley'

A Associação Brasileira de Transgêneros emitiu um comunicado de congratulações após a eleição dos três candidatos. Kayla Simpson, presidente da associação, disse: “Sendo transgênero, as campanhas dos três candidatos foram mais difíceis do que as dos outros candidatos.

“Esses resultados eleitorais são muito positivos para as pessoas trans, mas ainda há muitos candidatos no Congresso, especialmente no Senado, que rejeitam as pessoas LGBT”, disse ele. da nossa comunidade”, acrescentou.

No Brasil, as pessoas trans estão cada vez mais batendo à porta na política institucional. Nesta eleição, um recorde de 76 transgêneros disputaram assentos nas assembléias federais e provinciais.

Na comunidade LGBTQ, há uma voz alta pedindo que “todos os três candidatos sejam eleitos para enfrentar primeiro as questões de direitos LGBT”.

O Brasil tem uma das maiores taxas de assassinato de transgêneros na América Latina. De acordo com a Associação Brasileira de Transgêneros, 4 em cada 10 assassinatos de transgêneros na América Latina ocorrem no Brasil. No ano passado, houve 140 assassinatos de transgêneros e 79 tentativas de assassinato no Brasil.

Sohn Young-sik, Correspondente da América do Sul voniss@naver.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.