Cooperação EUA-Brasil descobre fraude de US$ 1 trilhão em criptomoedas

A Polícia Federal brasileira e a Inteligência de Segurança Interna (HSI) dos EUA iniciaram uma investigação conjunta no dia 6 sobre suposta fraude e desvio de R$ 4 bilhões de cidadãos de pelo menos 10 países.  Criptomoeda Ponzi Fraud Group capturado  Foto = redação da Agência de Imigração e Alfândega dos EUA

A imagem é uma visualização ampliada

A Polícia Federal brasileira e a Inteligência de Segurança Interna (HSI) dos EUA iniciaram uma investigação conjunta no dia 6 sobre suposta fraude e desvio de R$ 4 bilhões de cidadãos de pelo menos 10 países. Criptomoeda Ponzi Fraud Group capturado Foto = redação da Agência de Imigração e Alfândega dos EUA

No dia 6, a Polícia Federal brasileira e a Inteligência de Segurança Interna dos EUA (HSI) descobriram um golpe de criptomoeda transnacional de aproximadamente US$ 800 milhões com sede em Curitiba, Brasil. A Korean Newsroom and Decrypt reportou no dia 7 (horário local).

Como parte de uma repressão aos golpes de criptomoeda Ponzi, a polícia federal brasileira emitiu 20 mandados de busca e apreensão nas províncias do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro por violações da lei criminal brasileira.

No dia 6, 100 policiais se dispersaram por três estados federais brasileiros, invadindo 20 endereços ligados à rede de fraudes da criptomoeda ‘Bitcoin Shack (Shack Dos Bitcoins)’ liderada por Francisco Valdevino da Silva.

As violações incluem lavagem de dinheiro internacional, atividades comerciais criminosas, fraudes e crimes contra o sistema financeiro nacional.

O grupo de Lula é acusado de fraudar e fraudar “milhares” de brasileiros e cidadãos de pelo menos 10 países no valor de 4 bilhões de reais (cerca de US$ 800 milhões).

Eric Cordial, procurador-geral interino da HSI Brasil, disse: “Gostaria de agradecer à Polícia Federal brasileira por sua cooperação contínua no combate à fraude financeira transnacional”. “Esta operação bem-sucedida demonstra a importância da cooperação internacional para desmantelar organizações criminosas que operam em muitos países ao redor do mundo”, disse Caudiel.

Uma investigação dos EUA descobriu que investidores de mais de uma dúzia de países fraudaram investidores alegando falsamente que desenvolveram produtos financeiros sofisticados e totalmente funcionais relacionados a criptomoedas. De fato, a organização foi acusada de promover parcerias e licenças fraudulentas usadas para enganar as vítimas a investir milhões de dólares em criptomoedas emitidas por suspeitos. O Grupo Da Silva é conhecido por ter criado e vendido sua própria criptomoeda, mas no momento da investigação, a criptomoeda tinha pouco valor.

As vítimas receberão retornos mensais de até 20% de seu investimento. Da Silva e seus homens enganam as vítimas alegando que têm um grande grupo de traders profissionais de criptomoedas dedicados a obter lucro.

Após a transferência, em janeiro de 2022, do chefe de uma organização criminosa transnacional dos Estados Unidos para o Brasil, agentes especiais do HSI lotados na Embaixada dos EUA em Brasília, Brasil, solicitaram a cooperação da Polícia Federal brasileira.

A investigação internacional começou em março deste ano, depois que o Departamento de Segurança Interna dos EUA solicitou cooperação policial internacional por meio da rede global de polícia Interpol.

Uma investigação de acompanhamento das autoridades brasileiras descobriu atividades criminosas semelhantes ocorrendo no Brasil, além de receitas ilegais de cerca de 4 bilhões de reais (US$ 800 milhões) transferidos por meio de criptomoedas apenas no sistema bancário brasileiro.

A Força-Tarefa El Dorado da HSI de Nova York e os agentes especiais e oficiais da Força-Tarefa HSI da HSI do Brasil lideraram a investigação dos EUA junto com a HSI Orlando, o Departamento de Polícia de Nova York, o Gabinete do Xerife da Cidade de Nova York e o Estado da Flórida. Escritório de Regulação Financeira. O Distrito Sul de Nova York do Departamento de Justiça dos EUA e o Escritório de Assuntos Internacionais do Departamento de Justiça forneceram assistência jurídica significativa na investigação.

Enquanto isso, a HSI é a principal agência de investigação do Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) que investiga crimes e ameaças transnacionais, particularmente gangues criminosas que usam infraestrutura global por meio de comércio internacional, viagens e fluxos financeiros. A força de trabalho da HSI de mais de 10.400 funcionários inclui mais de 6.800 agentes especiais designados para 225 cidades nos Estados Unidos e 86 escritórios estrangeiros em 55 países. A presença internacional da HSI é a maior das agências de aplicação da lei estrangeiras do Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) e uma das maiores presenças internacionais de qualquer agência de aplicação da lei dos EUA.

Kim Seong-eun é repórter da Global Economics

[알림] Este artigo é apenas para julgamento de investimento e não somos responsáveis ​​por qualquer perda de investimento com base nele.

READ  Brasil Marine Lubricant Market Crescimento global dos negócios, cenário competitivo, tamanho, fatores e tendências do mercado, oportunidades e desafios para 2027

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.