Covid-19: Scotturb suspende o contrato a 87 trabalhadores

 

SCOTTURB vai suspender o contrato de 87 trabalhadores, que ficarão com o salário reduzido, recebendo apenas 2/3 da retribuição mensal ilíquida.

Com o país de “quarentena” o sector privado rodoviário começa a ficar particularmente afectado com a diminuição da sua atividade.

Com as previsões de várias instituições para a recessão económica portuguesa, na sequência da crise do covid-19, podem afetar o Produto Interno Bruto (PIB) com quebras entre 0,8%, no melhor cenário, até aos 20%, no pior.

No imediato e fazendo face à quebra na actividade aumentou hoje a lista de empresas do sector privado rodoviário de passageiros a entrar em “layoff”, atingindo grande parte do sector privado.

Segundo informação da Fectrans a SCOTTURB vai suspender o contrato de 87 trabalhadores, que ficarão com o salário reduzido, recebendo apenas 2/3 da retribuição mensal ilíquida.

Recorde-se que ainda recentemente a SCOTTURB anúnciou o reforço de horários nas carreiras de Cascais nos período de ponta.

Igual medida vai aplicar a TST/Arriva – Vai suspender o contrato de 340 trabalhadores e reduzir o horário de trabalho a outros 140, que ficarão a receber 2/3 da retribuição mensal ilíquida.

A Arriva Norte – também informou que vai accionar o mecanismo de “layoff” esta semana.

A operação da empresa Arriva Norte é de cariz interurbano, com cerca de 190 concessões, operando mais de 200 linhas em 16 concelhos diferentes (Guimarães, Famalicão, Braga, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Barcelos, Santo Tirso, Trofa, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Maia, Matosinhos, Porto, Terras de Bouro e Vizela).

E segundo a mesma fonte vão entrar em “layoff” as empresas Esteves Braga e Andreia; a J. Espírito Santo; Moreira Gomes e Costas Ldª.