O Bairro Marechal Carmona será o primeiro bairro auto-sustentável do País.

Segundo o estudo apresentado pelo actual executivo da Câmara de Cascais o Bairro Marechal Carmona será o primeiro bairro de economia circular.

Este processo teve início com o acordo realizado entre a Câmara Municipal de Cascais e a Santa Casa da Misericórdia com o objectivo de modernizar e reabilitar o actual Bairro Marechal Carmona.

Este é um projecto em que a vereadora Filipa Roseta se tem empenhado para que o Bairro Marechal Carmona seja o primeiro bairro auto-sustentável do País.

A autarquia prevê a construção de 502 novas habitações que irão substituir as actuais 220 casas numa área de  intervenção  com 57.178 m2.

O projecto prevê 55% de espaços públicos e arruamentos, 11% de áreas verdes e 13% de equipamentos.

502 novas habitações numa área de  intervenção  com 57.178 m2. 11% de áreas verdes e 55% de espaços públicos.

Suportado numa arquitectura moderna este espaço tem projectadas áreas de produção de energia eólica e solar, hortas comunitárias e espaços de lazer.

A regeneração urbana prevista passa por criar novas funcionalidades ao bairro, novos usos, a utilização de redes inteligentes dos recursos energéticos, redes WIFI gratuitas,  espaços de lazer, de desporto e comerciais.

Segundo o executivo autárquico “o conceito de regeneração urbana diz respeito a um conjunto de intervenções sócio-urbanísticas em áreas urbanas marcadas pela degradação do património edificado e do espaço público, pela insuficiência de equipamentos sociais elementares e por processos de exclusão social”.

Estes projectos estão integrados numa estratégia de desenvolvimento e reabilitação urbana mais vasta que permite apresentar soluções para os actuais problemas de falta de coesão ou integração social.

É ainda objectivo da Câmara avançar com igual programa para o Bairro da Cruz Vermelha  com a recuperação de alguns dos imóveis devolutos e a criação de uma nova vida através da sua requalificação.

Este processo, da passagem do património destes bairros da Santa Casa da Misericórdia de Cascais para a esfera da Câmara, levantou grandes contestações por parte dos actuais moradores alegadamente por não estarem garantidos os seus direitos.

No caso em concreto do Bairro Marechal Carmona alguns dos moradores residem no bairro há mais de 70 anos e ainda não sabem como se vai realizar a sua integração neste projecto.