Indústria automobilística global, incluindo a Toyota, investirá 20 trilhões em ‘etanol híbrido’ no Brasil: ZUM News



[서울=뉴스핌] Correspondente Wonjin Choi = A indústria automobilística global está investindo em carros ecológicos exclusivos vendidos no Brasil.

De acordo com o British Financial Times (FT) no dia 26 (hora local), montadoras globais, incluindo Toyota do Japão, Mitsubishi, Stellandis dos EUA, Volkswagen da Alemanha e Great Wall Automobile da China, estão gastando cerca de 77 bilhões de reais nos ‘chamados’ do Brasil. Estima-se que os carros híbridos Flex foram investidos somente neste ano (aproximadamente 20,216 trilhões de won).

Em março passado, a Toyota anunciou um plano de investimentos no valor de R$ 11 bilhões e anunciou planos para adicionar dois novos modelos de veículos Flex Hybrid nos próximos anos.

Logotipo Toyota. [사진=뉴스핌DB]

A Toyota lançou o primeiro veículo Flex Hybrid do mundo no Brasil em 2019, com vendas totais de aproximadamente 75 mil unidades. Flex Hybrid é a abreviatura de ‘Flexible Fuel Blend’ e refere-se a um veículo que utiliza de forma flexível um motor elétrico e biocombustível. Atualmente, cerca de 90% dos automóveis de passageiros vendidos no Brasil são veículos flexíveis que utilizam uma mistura de bioetanol extraído da cana-de-açúcar e do petróleo. Na década de 1970, quando eclodiu a crise do petróleo no Médio Oriente, a ditadura militar do Brasil começou a desenvolver biocombustíveis para reduzir a dependência do petróleo caro. O Brasil, onde o cultivo da cana-de-açúcar se desenvolveu a partir de uma colônia portuguesa, é o principal produtor de cerca de 40% da produção mundial.

Mesmo os veículos normais a gasolina devem usar etanol. Isto porque é uma exigência legal que a gasolina seja misturada com pelo menos 27% de biocombustível. Devido a esta situação, todos os postos de gasolina possuem postos de recarga de etanol.

READ  Regulamentos de moeda no Canadá e entrada de ondulação no Brasil

O Flex Hybrid é a ‘eletrificação’ definitiva dos veículos Flex, com o Brasil investindo na indústria automobilística global. À medida que a mudança para veículos elétricos se tornou uma tendência devido ao movimento global ecologicamente correto, o Brasil está apostando tudo nos híbridos flexíveis.

O Brasil é o sétimo maior mercado automobilístico do mundo e um cliente imperdível da indústria automobilística. No entanto, devido à carga doméstica da população brasileira, a demanda por veículos elétricos convencionais, que são mais caros que os veículos de combustão interna, não é grande, e o vasto território do Brasil e o grande número de estações de carregamento de veículos elétricos são difíceis de fornecer. Terreno. No caso do Flex Hybrid, ele é movido por injeção de etanol sem recarga elétrica.

Afinal, um estudo de 2009 descobriu que o etanol da cana-de-açúcar pode reduzir as emissões de carbono em até 73% em comparação com a gasolina, pelo que se pode esperar que a electrificação dos veículos flex tenha o mesmo efeito ecológico que os veículos eléctricos puros.

“As emissões de carbono dos veículos híbridos flex são semelhantes às dos veículos 100% elétricos na Europa”, disse Roberto Braun, Diretor de Meio Ambiente, Sociedade e Governança (ESG) da Toyota Brasil. “É qualquer coisa técnica prática”, disse ele.

Além disso, o preço de um carro híbrido flex é 10-15% mais alto do que um carro flex normal, e a diferença de preço não é enorme, mas é mais barato do que um carro elétrico puro.

winjc6@newspim.com

Copyright (c) Newspim, uma agência de notícias abrangente que fornece uma porta de entrada para líderes globais, reprodução e redistribuição não autorizadas proibidas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *