A Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) iniciou um conjunto de inspeções a cem escolas secundárias, tendo em conta a avaliação pedagógica dos alunos nos 11.º e 12.º anos, informou hoje o Ministério da Educação.

A ação inspetiva tem em conta um universo de cerca de 650 escolas secundárias, abrangendo tanto estabelecimentos de ensino públicos como privados.

Desde 2019, o trabalho realizado pelos inspetores da IGEC já levou à instauração de duas dezenas de inquéritos por terem sido detetadas escolas onde havia uma concentração de “um conjunto de classificações anormalmente elevadas”.

Este trabalho originou 57 processos disciplinares, dos quais cerca de duas dezenas estão em fase de conclusão, estando os restantes a correr os seus termos.

A IGEC está mobilizada para o acompanhamento das avaliações das aprendizagens no âmbito do ensino secundário, tendo sido “dadas instruções para priorizar esta ação inspetiva e para alavancar os respetivos procedimentos”, refere o gabinete de imprensa do Ministério da Educação, confirmando as ações de inspeção às escolas noticiadas hoje de manhã pelo Jornal de Notícias.

Os inspetores estão também focados para tentar perceber como correram as aprendizagens durante este período de pandemia, em que a grande maioria dos alunos passou a ter aulas à distância desde o final do segundo período de aulas.

Também devido à pandemia, a IGEC teve de adequar os seus procedimentos, tendo em alguns casos adiado intervenções que dependiam de as escolas estarem a funcionar plenamente em regime presencial.

No entanto, o ME considera que estes ajustamentos ou adiamentos vieram permitir à IGEC e os seus inspetores, concentrarem-se “também noutras atividades consideradas prioritárias, no quadro atual”.

Assim, este ano, o trabalho de acompanhamento das avaliações das aprendizagens no âmbito do ensino secundário “será alargado a um número mais elevado de escolas”, públicas e privadas, e terá dois objetivos: regular e dissuadir.

Os inspetores vão também tentar perceber como é que as escolas integraram os instrumentos de avaliação das aprendizagens realizadas presencialmente e à distância, ao longo do ano letivo, na perspetiva de uma avaliação contínua, pedagógica e inclusiva.

O Ministério da Educação tinha em curso um processo para recrutar 24 novos inspetores, “que está neste momento concluído”, acrescentou o gabinete de imprensa.

Após a tramitação final nas Finanças, terá início a respetiva formação especializada.

Fonte: Lusa